Lia Bock: O problema do racismo estrutural no Brasil

Conceito registrou mais de 1 milhão de buscas na internet na sexta-feira, após a morte de João Alberto Silveira, espancado no em um supermercado em Porto Alegre

Da CNN
23 de novembro de 2020 às 11:59

No Manual do Mundo Moderno desta segunda-feira (23), na CNN Rádio, Lia Bock falou sobre racismo estrutural no Brasil. O conceito registrou mais de 1 milhão de buscas na internet na sexta (20), após a morte de João Alberto Silveira, espancado no estacionamento de um supermercado em Porto Alegre.

Ela explicou que racismo estrutural "é aquele que permite que, diante de um assassinato como este, por exemplo, o vice-presidente da República diga que não existe racismo no Brasil". "Ou seja, é justamente aquilo que a gente não vê, que não está óbvio."

Assista e leia também:
Lia Bock: Dicas de séries, livros e filmes para refletir sobre o racismo
Lia Bock: 'Abolimos a escravidão, mas abandonamos essas pessoas'
Lia Bock: Redes sociais podem ser peça no jogo democrático, mas não a principal

Lia Bock comanda o Manual do Mundo Moderno na Rádio CNN
Foto: CNN Brasil

Para Lia, "quando a gente entende isso, entende que o buraco é mais embaixo". Ela ressaltou que um dos pontos importantes a se destacar sobre esse assunto é que o racismo estrutural é o que sustenta uma atuação da polícia que mata muito mais negros do que brancos.

Lia disse que a taxa geral de homicídios de não negros caiu 13% nos últimos 10 anos, enquanto a de negros aumentou 12%.

"Para ser preconceito, não precisa dizer, falar expressões. A ação pode ser preconceituosa", afirmou ela.