Enem 2020: estudantes devem usar máscara e álcool em gel; conheça as regras

Provas acontecerão nos dias 17 e 24; são cerca de 6 milhões de participantes espalhados por mais de 200 mil salas pelo Brasil

Raphael Coraccini, colaboração para a CNN
06 de janeiro de 2021 às 05:00
Prova Enem
Provaas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)
Foto: Reprodução/Agência Brasil

A prova do Enem 2020, que acontecerá excepcionalmente em janeiro deste ano, nos dias 17 e 24, contará com quase 6 milhões de participantes espalhados por mais de 200 mil salas pelo Brasil. Para tentar reduzir o risco de infecções durante o evento, o Inep, responsável pela aplicação da prova, definiu algumas regras específicas para a realização do exame.

O uso da máscara é obrigatório para todos os alunos e profissionais que atuarão na aplicação da prova. Eles devem manter a proteção facial o tempo todo. Como o tempo recomendado para o uso da mesma máscara de tecido é de duas horas, segundo o Ministério da Saúde, o Inep permite que o participante leve mais de uma máscara para troca durante a prova.

Leia também:
Interpretação, leitura e literatura: pontos-chave para a prova do Enem
Enem 2021: veja como será a estrutura da prova e divisão das questões
Estudantes não poderão usar nota do Enem 2020 no Prouni e no Fies

O aluno poderá levar seu álcool em gel, mas o MEC está obrigado a disponibilizar o produto nas 205 mil salas que serão usadas para a realização do exame. As 60 mil salas a mais que as disponibilizadas na última edição, de 2019, estão relacionadas às medidas de distanciamento social. A ocupação das salas será de aproximadamente 50% da capacidade total.

Os estudantes do grupo de risco realizarão o exame em salas com lotação máxima de 12 pessoas. Nesse grupo estão gestantes, lactantes, idosos e pessoas com condições médicas preexistentes, como cardiopatias, doenças pulmonares crônicas, diabetes, obesidade mórbida, hipertensão, doenças imunossupressoras e oncológicas. A classificação do aluno como grupo de risco é feita durante a inscrição.

Os alunos que apresentarem sintomas de doenças infectocontagiosas deverão entrar em contato com o Inep e não comparecer ao local do exame. Eles poderão realizar a prova na reaplicação, que será feita também presencialmente nos dias 23 e 24 de fevereiro.

A data para divulgação dos resultados é dia 29 de março. Por conta do adiamento das provas, o Enem 2020 não garante vaga nas universidades no primeiro semestre de 2021.