MP cobra explicação sobre servidores do DF que teriam furado a fila da vacinação

Denúncia é de que funcionários da saúde que não estão em grupos prioritários para receber as doses da Coronavac

Da CNN, em São Paulo
21 de janeiro de 2021 às 08:31


A força-tarefa de combate à Covid-19 do Ministério Público (MP) cobrou explicações da secretaria de Saúde do Distrito Federal sobre denúncias de que servidores da pasta, que não estão incluídos na primeira etapa da campanha de imunização, estariam recebendo vacinas. Os esclarecimentos devem ser entregues em até 48 horas a partir do recebimento do ofício. 

Após as denúncias, o Ministério da Saúde disse, em nota, que é "imprescindível" que a vacinação siga a ordem estabelecida pelo Plano Nacional de Imunização. Ou seja: profissionais de saúde, idosos acima de 60 anos que morem em abrigos ou asilos, portadores de deficiência com mais de 18 anos que vivam em instituições e indígenas.

O ministério comentou ainda que, com as 6 milhões de doses disponíveis até o momento no país, é possível vacinar cerca de 2,8 milhões de pessoas - cerca de 90% dessa primeira fase dos grupos prioritários.

(Publicado por: André Rigue)