Secretária de Enfrentamento à Covid-19 deixa cargo 10 dias após ser anunciada

Ministério da Saúde confirmou que Luana Araújo não exercerá a posição e que busca outra pessoa com "perfil profissional semelhante"

Anna Satie, da CNN em São Paulo
22 de maio de 2021 às 17:21 | Atualizado 22 de maio de 2021 às 19:17

O Ministério da Saúde confirmou neste sábado (22) que a secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, a infectologista Luana Araújo, não exercerá o cargo, dez dias após ter sido anunciada. 

De acordo com nota, a pasta busca outro nome com "perfil profissional semelhante: técnico e baseado em evidências científicas". 

"A pasta agradece à profissional pelos serviços prestados e deseja sucesso na sua trajetória", diz o comunicado. 

Araújo foi anunciada no último dia 12 pelo ministro Marcelo Queiroga durante o lançamento da campanha de conscientização sobre medidas preventivas e vacinação contra Covid-19. A secretaria foi criada no dia anterior para centralizar as ações de combate à pandemia. 

A infectologista Luana Araújo ao lado do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga
Foto: Tony Winston/MS (12.mai.2021)

 

Em publicação no LinkedIn, a médica agradeceu a Queiroga pela oportunidade e diz deixar o cargo "pela porta da frente". Ela não compartilhou o motivo da saída. 

"Neste curto período de atuação, ainda que sem nomeação oficial, pude desenvolver trabalhos em várias frentes, incluindo o plano de testagem agora apresentado pelo Ministro da Saúde", escreveu.

"Saio desta experiência como entrei: pela porta da frente, com a consciência e o coração tranquilos, ciente de que neste curto período entreguei o melhor da minha capacidade de acordo com os princípios que tenho como profissional especialista na área: ética, cientificidade, agilidade, eficiência, empatia e assistência".