Secretário: três anos para recuperar impacto da pandemia na Educação em SP

Para Rossieli Soares, não é mais possível continuar com as escolas fechadas no estado de São Paulo; estado retoma aulas presenciais no dia 2 de agosto

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo; produzido por Juliana Alves e Layane Serrano, da CNN, em São Paulo
22 de julho de 2021 às 08:41 | Atualizado 22 de julho de 2021 às 08:52

O secretário de Educação do estado de São Paulo, Rossieli Soares, afirmou em entrevista à CNN nesta quinta-feira (21) que o setor levará ao menos três anos para se recuperar do impacto provocado pela pandemia do coronavírus. 

O estado de São Paulo retoma as aulas presenciais em 2 de agosto. Segundo Rossieli, o limite de percentual está descartado e, agora, os órgãos responsáveis trabalham com o distanciamento social como limite para salas de aulas – com 1 metro de distância entre um aluno e outro. "Se a gente quer recuperar, não tem como deixar as escolas fechadas", disse. 

Para estimular o retorno às aulas no estado de São Paulo, a secretaria de Educação trabalha para implementar o novo ensino médio que, segundo Soares, proporcionará ao aluno uma maior identificação com temas e assuntos abordados em aula. 

"Quando a gente fala de um novo ensino médio falamos de uma mudança em toda a estrutura, a gente precisa ter esse jovem interessado e dentro da escola. Estamos falando de uma educação ligada a uma espinha dorsal, olhando para os sonhos, desejos e necessidades desse estudande para que escola possa ser uma ponte", disse. 

Segundo ele, o novo ensino médio abrange as disciplinas tradicionais, disciplinas que envolvem projetos de vida dos estudantes e orientação de estudos, além de uma maior carga horária com aulas extras. "É preciso ser atrativo de formas diferentes. Nós vamos passar uns três anos para recuperar o que houve na pandemia", afirmou. 

Rossieli Soares, secretário estadual de Educação de São Paulo, falou sobre retorno às aulas presenciais
Foto: CNN Brasil (22.jul.2021)

Para Rossieli, a valorização do profissional de Educação também se revela um pilar importante neste momento de retomada das aulas. "O pilar da valorização tem itens importantes como a formação, a sociedade valorizando a importância dos professores e isso a pandemia nos mostrou, e também existe a valorização financeira", disse. 

O secretario afirmou que o estado tem caixa para conceder aumentos aos professores, mas nesse momento de pandemia uma lei federal, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) impede o aumento. "Tem sido muito difícil esse processo. É fundamental que a gente faça um reajuste", disse Rossieli.