Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Aeronáutica: Sistema usado por piloto de Marília Mendonça não mostrava rede de fios

    Não está descartado que o piloto, experiente na profissão, pudesse ter conhecimento por outra fonte da existência dos fios, o que somente a investigação da FAB irá constatar

    Basília Rodrigues

    Ouvir notícia

    A Aeronáutica informou à CNN que a rede de fios em que o avião da cantora Marília Mendonça se chocou não estava dentro da zona de proteção do aeródromo, ou seja, não é considerada um obstáculo para pousos. Por esse motivo, as informações disponibilizadas ao piloto, para o preparo do plano de voo, não alertavam sobre a redes de cabos.

    Não está descartado que o piloto, experiente na profissão, pudesse ter conhecimento por outra fonte da existência dos fios, o que somente a investigação da FAB irá constatar.

    As informações repassadas pela Aeronáutica, a pedido da CNN, confirmam o que a Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) afirmou mais cedo de que a torre estava fora da zona de proteção, portanto, não tinha proibição da FAB de ser construída no local.

    De acordo com o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) do Comando da Aeronáutica, o piloto sabia que na rota de pouso havia outros obstáculos, não detalhados ainda pela FAB à reportagem, mas eles não eram a torre de fios.

    “O aviso, chamado de INFOTEMP, indicava obstáculos de conhecimento obrigatório para os pilotos que pretendem operar no aeródromo de Caratinga. Importante ressaltar que os obstáculos que constam no aviso não são os cabos de alta tensão”, explica a FAB.

    Informações prévias

    Antes de qualquer voo, é comum que pilotos acessem as informações aeronáuticas disponibilizadas no site do Decea para visualizar quais obstáculos existem na rota, como árvores, prédios e montanhas.

    A partir das informações, “espera-se que o voo seja realizado respeitando os limites declarados nas publicações pertinentes, evitando, no caso do INFOTEMP, o obstáculo informado”.

    “Pelo fato de a linha de transmissão naquele trecho em que ocorreu o acidente estar além dos limites do Plano Básico de Proteção do Aeródromo, esses cabos não fizeram parte de análise, segundo os critérios da Organização de Aviação Civil Internacional”, explica o Decea.

    Assim como o INFOTEMP, outras bases de dados aeronáuticos como ROTAER, NOTAM e Cartas estão disponíveis no site aisweb.decea.mil.br.

    Relembre os famosos que morreram em 2021:

    Mais Recentes da CNN