Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Após caos no Amazonas, MS lidera preocupação com leitos de UTI; veja números

    Levantamento da Agência CNN com dados das secretarias de Saúde dos estados mostra situação preocupado em quase todas as regiões do Brasil

    Paciente com Covid-19 recebe atendimento médico em Manaus
    Paciente com Covid-19 recebe atendimento médico em Manaus Foto: Sandro Pereira/Fotoarena/Estadão Conteúdo

    André Rigue, da CNN, em São Paulo

    Ouvir notícia

    O Amazonas enfrenta um caos no sistema de saúde com o elevado número de ocupação de leitos de UTI. Com praticamente todos os leitos disponíveis para pessoas com coronavírus ocupados, o estado ainda sofre com a falta de oxigênio, essencial para o tratamento dos pacientes.

    Levantamento realizado pela Agência CNN junto às secretarias de Saúde estaduais mostra que outros estados estão em alerta com o número de ocupação de leitos. Destaque para Mato Grosso do Sul, no Centro-Oeste, com 92% dos leitos de UTI públicos para tratamento de Covid-19 ocupados.

    Em São Paulo, a média geral de UTI é de 62%. O governador João Doria deve apresentar nesta sexta-feira (15) uma atualização no Plano SP de reabertura econômica e colocar novas restrições. 

    Ainda no Sudeste, Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, tem 86% dos leitos de UTI para Covid-19 ocupados. A cidade também tem adotado medidas mais restritivas.

     

    No Sul do Brasil, Paraná (81% de ocupação de leitos de UTI), Santa Catarina (79%) e Rio Grande do Sul (77%) também estão em alerta.

    No Nordeste, Pernambuco é o estado que apresenta a maior ocupação de leitos de UTI, com 82%. No Norte, além do caos no Amazonas, o Amapá apresenta sinal de alerta com 83% de preenchimento dos leitos para adultos de UTI.

    SUL

    Paraná – Ocupação leitos UTI: 81% (adulto) | 36% (pediátrico) | Enfermaria: 58% (adulto) | 50% (pediátrico) – atualização em 14/01

    Santa Catarina – Ocupação leitos UTI SUS: 79% (leitos gerais) – atualização em 14/01

    Rio Grande do Sul – Leitos UTI Adulto: 77% | Enfermaria: 24,7% | Leitos SUS: 74,2% | Leitos privados: 85.6% – atualização em 14/01

    SUDESTE

    São Paulo – Ocupação Leitos UTI: Estado: 67.5%| Grande SP: 69% | Ocupação Leitos Enfermaria: Estado: 52,6% | Grande SP: 60% – atualização em 14/01

    *São Paulo (capital) – Ocupação Geral de UTI: 62% (Hosp. Municipais: 60% | Hosp. Contratualizados: 89%) – atualização em 14/01

    Rio de Janeiro – Ocupação UTI: 71.3% | Enfermaria: 61.8% – atualização em 14/01
    Minas Gerais – Ocupação UTI Covid: 34,64% | *A taxa de ocupação geral de leitos de UTI: 72,45% – atualização em 14/01

    *Belo Horizonte (capital) – UTI Covid: 86% (SUS + suplementar) | Enfermaria Covid: 73.7% (SUS + suplementar) – atualização em 14/01

    Espírito Santo – Ocupação leitos UTI Covid: 77,16% | Enfermaria Covid: 70,99% – atualização em 14/01

    CENTRO-OESTE

    Distrito Federal – Ocupação de leito adulto: 70.19% | Ocupação de leito pediátrico: 66.67% | Taxa de ocupação leito neonatal: 25% – atualização em 14/01

    Mato Grosso do Sul – Ocupação Leitos públicos UTI adulto: 92% | Enfermaria adulto: 47% | UTI infantil: 8% | Enfermaria infantil: 33% – atualização em 14/01

    Goiás – Ocupação UTI Covid: 68,60% | Ocupação Enfermaria Covid: 37,20%. A taxa de ocupação geral de leitos de UTI: 63,05% | Leitos enfermaria: 44,25% para doenças além da Covid-19) – atualização em 15/01

    *Goiânia (capital) – UTI: 63% | Ocupação Enfermaria: 44% – atualização em 14/01

    Mato Grosso – Ocupação Leitos UTI: 68% | Leitos de UTI pediátrica: 53% – atualização em 14/01

    NORDESTE

    Bahia – Ocupação UTI adulto: 72% | UTI pediátrica: 57% | Enfermaria adulto: 54% | Enfermaria pediátrica: 62% – atualização em 14/01

    Alagoas – Ocupação UTI: 61% | UTI Intermediária: 24% | Leitos clínicos: 46% – – atualização em 14/01

    Rio Grande do Norte – Ocupação leitos de UTI para Covid-19: 62% / Leitos clínicos: 45% – atualização em 14/01

    Ceará – UTI Estado: 69,3% | Enfermaria: 41% – atualização em 14/01

    Pernambuco – Leitos de UTI: 82% | Leitos de enfermaria: 65% – atualização em 14/01

    Piauí – Ocupação leitos de UTI: 52% | Ocupação leitos clínicos: 46% | Ocupação leitos de estabilização: 16% – atualização em 14/01

    Maranhão – Ocupação UTI Grande Ilha (São Luís): 68,54% | Leitos clínicos: 36,70% – atualização em 14/01

    Paraíba – Leitos de UTI do estado: 44% | Enfermaria 40% – atualização em 14/01

    Sergipe – Taxa ocupação UTI Adulto: 68% público |73% privado | Ocupação enfermaria: 61,4% público | 58,9% privado – atualização em 14/01

     

    NORTE

    Acre – UTI 63%| Leitos Clínicos 44% – Última atualização em 13/01

    Tocantins – UTI: 60% | Enfermaria: 8% – atualização em 14/01

    Rondônia – Total de pacientes internados: 346: – (Aguardando informações solicitadas em 12/01)

    Roraima – UTI: 71% | Clínicos: 66% – http://covid19.sesau.ro.gov.br/Home/LeitosEvolucao    – atualização em 14/01

    Amazonas – Leitos UTI (Sala Vermelha) – 133,33% |Leitos clínicos – 103,72% |UTI para pacientes com Covid-19 – 90,33% |Leitos clínicos (não Covid-19) – 69,78%|UTI não-Covid-19 75,33%. *Sala vermelha é “estrutura voltada à assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves para posterior encaminhamento a outros pontos da rede de atenção à saúde”.

    Amapá – Ocupações público: UTI Adulto: 83% | Enfermaria adulto: 57% | UTI Infantil: 0% | Enfermaria infantil: 59% – atualização em 14/01

    Pará – UTI: 46% | Enfermaria: 69% – atualização em 14/01

    Com informações de Victória Cócolo, da CNN, em São Paulo.

    Mais Recentes da CNN