Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Após concluir ensino médio aos 66, idosa é aprovada em 2º lugar em Federal

    Edicléia Zanini vai cursar Letras na Universidade Federal de Santa Maria. História viralizou nas redes sociais após neta compartilhar celebração

    Foto: Acervo pessoal

    Anna Gabriela Costa, colaboração para CNN Brasil

    Nunca é tarde demais para realizar um sonho. É o que ensina a história de vida da aposentada Edicléia de Arruda Zanini, que, aos 72 anos, conseguiu ser aprovada, em segundo lugar, no vestibular da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

    Edicléia formou-se no ensino médio aos 66 anos e nunca imaginou que, seis anos depois, ingressaria no curso de Letras em uma instituição pública.

    A comemoração pela conquista tem ainda mais força para Edicléia, que após três anos de tratamento, se curou de um câncer.

    Assista e leia também

    Vira-lata herói: Cachorro ataca jararaca e salva criança de picada

    Pais buscam recursos para comprar medicamento de R$ 12 milhões para filhas

    Saúde: Vacinação começará por idosos acima de 75, área da saúde e indígenas

    A história da aposentada viralizou nas redes sociais após a neta Alice Siqueira, de 21 anos, compartilhar com a foto da avó quando recebeu a confirmação da aprovação.

    A jovem conta que a família se reuniu para dar a notícia à Edicléia e relata que foi um momento de muita emoção.

    “Minha mãe leu o nome dela no celular, ela achou que fosse um exame médico, depois viu que era a lista de aprovados e começou a chorar bastante. Foi muita emoção, queria compartilhar com meus amigos um momento feliz. Nunca imaginei essa repercussão. De repente, todo mundo começou a falar que ela era uma inspiração”, conta a neta.

    A luta contra um câncer fez Edicléia adiar alguns planos, mas a aposentada conseguiu concluir o ensino médio já aos 66 anos. E, por insistência da filha, decidiu prestar o vestibular para o curso de letras neste ano.

    “Ela nem esperava. Fez o vestibular porque minha mãe insistiu. Ela estava se sentindo muito sozinha e deprimida com a pandemia. O isolamento contribuía para ficar deprimida”, diz Alice.

    Dona Edicléia conta que não havia estudado muito para o vestibular, por isso foi surpreendida com o resultado em segundo lugar. A escolha pelo curso de Letras se deu por sua paixão pela língua portuguesa. “Eu sempre gostei muito de ler, escrever, faço muitos poemas”, diz a caloura.

    Após a notícia da aprovação, que saiu em 25 de novembro, Edicléia ganhou material escolar dos netos como forma de incentivo e aproveitou uma oferta da Black Friday para garantir um novo notebook.

    “Estou imensamente feliz, é a realização de um sonho, era tudo que eu queria. Tive muitas coisas que me atrapalharam, três anos em tratamento de câncer… Mas, não pode desistir nunca, tem que persistir e ir para frente. Nunca é tarde”, celebra a nova universitária.