Após protestos contra STF, governo do Distrito Federal demite comandante da PM

Interlocutores de Ibaneis Rocha afirmam que ele ficou insatisfeito com atuação de policiais responsáveis pela segurança do local

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB)
O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) Foto: Paulo Carvalho/Agência Brasília

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

Após a reclamação de ministros do Supremo Tribunal Federal, indignados com protestos que ocorreram em frente à corte, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), demitiu o subcomandante-geral da Polícia Militar, coronel Sérgio Luiz Ferreira de Souza. 

A exoneração foi publicada em edição extra do Diário Oficial do DF. De acordo com interlocutores de Ibaneis, ele não gostou dos policiais não terem conseguido evitar o uso de fogos de artifício em uma área em que a segurança é atribuição da Polícia Militar.

Leia e assista também

MPF determina abertura de inquérito sobre lançamento de fogos contra STF

Toffoli reage a ataques: Supremo jamais se sujeitará a nenhum tipo de ameaça

Antes da demissão, o presidente do STF, Dias Toffoli, publicou que “infelizmente, na noite de sábado, o Brasil vivenciou mais um ataque ao Supremo Tribunal Federal, que também simboliza um ataque a todas as instituições democraticamente constituídas”. Toffoli afirma também que a manifestação era ilegalmente financiada e que o STF não iria se sujeitar a isso.

Também integrantes do governo Bolsonaro, que vinha em rota de colisão com o STF, manifestaram solidariedade ao Supremo. “Ataque ao STF ou a qualquer instituição de Estado é contrário à nossa democracia, prejudica nosso país, e deve ser repudiado. Atitudes e pensamentos individuais não são mais importantes que nossos ideais”, afirmou o ministro da secretaria-geral da presidência, Jorge Oliveira, em suas redes.

Mais Recentes da CNN