Arquidiocese do Rio confirma retorno de missas presenciais para 4 de julho

Cerimônias estão suspensas desde 20 de março, devido à pandemia de coronavírus.

Devoto de São Jorge reza do lado de fora de igreja fechada no Rio de Janeiro
Devoto de São Jorge reza do lado de fora de igreja fechada no Rio de Janeiro Foto: Ricardo Moraes - 23.abr.2020/Reuters

da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia
A Arquidiocese do Rio anunciou nesta sexta-feira (19) que irá retomar as missas e celebrações religiosas com a presença de fiéis a partir do dia 4 de julho, nas mais de 280 igrejas da cidade. Devido à pandemia de coronavírus, as cerimônias presenciais estavam suspensas desde 20 de março.

O cardeal dom Orani Tempesta, arcebispo metropolitano do Rio, afirmou que a retomada das celebrações respeita as normas estabelecidas pelas autoridades. 

“Conversamos com nossos bispos, padres, e mantivemos um constante diálogo com todas as regiões de nossa Arquidiocese para analisarmos cada detalhe. Dessa maneira, decidimos dar este passo, mas respeitando todas as orientações de prevenção, higiene e distanciamento já estabelecidas anteriormente”, afirmou o religioso, ressaltando ainda ter consultado infectologistas, médicos e profissionais de saúde ligados à Igreja Católica.

Leia também:

Basílica de São Pedro é reaberta ao público para a celebração de missas

Com igrejas fechadas, católicos encontram novas formas de união

Crivella mantém regras de isolamento, mas coloca igrejas como serviço essencial

O retorno das celebrações de missas presenciais seguirá um protocolo que prevê uma série de medidas para evitar a propagação da Covid-19. Como por exemplo, a ocupação de no máximo 30% dos templos religiosos, uso de máscaras de proteção e aferição de temperatura dos fiéis na entrada das igrejas.

A arquidiocese sugere que idosos e outros membros do grupo de risco continuem acompanhando as cerimônias de casa, por TVs, rádios ou internet. 

Com Estadão Conteúdo

 

Mais Recentes da CNN