Com 13,9 mil emissões em 2021, Brasil registra novo recorde de testamentos

De janeiro a maio, país teve aumento de 40% nas emissões em relação a 2020 e de 12% sobre 2019; SP, RS e RJ são os estados com mais ocorrências

Familiares choram mortes de vítima de Covid-19; país teve recorde também no número de testamentos
Familiares choram mortes de vítima de Covid-19; país teve recorde também no número de testamentos Foto: Edmar Barros/Futura Press/Estadão Conteúdo

Beatriz Puente*, da CNN, no Rio de Janeiro 

Ouvir notícia

Com a alta do número de mortes no Brasil, impactado entre outros fatores pela pandemia do novo coronavírus, o número de testamentos emitidos no país bateu recorde: 13.924.

De janeiro a maio deste ano, houve um aumento de 40% de emissão desses documentos, em relação a 2020, e de 12% em comparação com 2019, até então o ano com mais testamentos registrados.

Segundo os Cartórios de Notas do Brasil (CNB), os quase 14 mil testamentos realizados são o maior número já registrado no país. Segundo o CNB, a facilidade de fazer o registro online também contribuiu para esse crescimento.  

Em números absolutos o ranking de estados com o maior número de testamentos realizados nos 5 primeiros meses do ano foram São Paulo (4.313), Rio Grande do Sul (1.792) e Rio de Janeiro (1.544). 

“A pandemia de Covid-19, de fato, tirou os fluminenses de sua zona de conforto no que diz respeito à sucessão de seus bens”, afirmou José Renato Vilarnovo, presidente do CNB do Rio de Janeiro, em nota. 

“Ver e saber do falecimento de pessoas próximas tão de repente, em virtude de uma doença pouco conhecida, certamente fez com que muitas pessoas repensassem a morte por outro viés e passassem a se preocupar mais realisticamente com seus sucessores e com os direitos de cada um, sem falar na segurança de saber que seus desejos já estão resguardados e assegurados”, completou.

(*Sob supervisão de Helena Vieira)

Tópicos

Mais Recentes da CNN