Com apoio de Neymar e Vini Jr., jovem vence batalha contra o câncer

No Dia da Enfermagem, CNN conta história de profissional que organizou corrente do bem para ajudar rapaz em tratamento

Bruno OliveiraMatheus Meirellesda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Apoio e incentivo. De familiares ou amigos. Quem já superou uma grande dificuldade ou realizou um sonho sabe a importância de uma palavra ou gesto em um momento decisivo da vida. Para João Victor Rodrigues de Moraes Vieira, de 20 anos, o estímulo veio dos ídolos do futebol.

Neste 12 de maio, quando é celebrado o Dia da Enfermagem, a CNN conta a história de um jovem que teve a ajuda de uma enfermeira para vencer a batalha mais difícil da sua vida.

Em dezembro de 2020, quando vivia a expectativa de entrar para a Marinha, João Victor foi diagnosticado com um câncer de nasofaringe, um tumor que se desenvolve na porção superior da faringe –do fundo do nariz até a laringe e o esôfago. Como a doença estava em grau 4, ele foi internado com urgência.

Três meses após ser internado, com três sessões de quimioterapia e 12 de radioterapia, o jovem comunicou aos familiares e médicos que não queria mais continuar com o tratamento. “Estava com depressão, ansiedade, não queria receber visitas. Só chorava e tinha pensamentos suicidas. Perdi muito peso, me sentia fraco, não tinha mais vontade de viver”, revelou.

Quem acompanhou de perto o sofrimento do João Victor foi a enfermeira Renata Martins. Os dois se conheceram quando ele foi internado no Americas Oncologia, no Rio de Janeiro, hospital onde ela trabalha. “Sempre conversamos bastante. Em um desses papos, descobri a paixão dele por futebol, pelo Flamengo. Quando ele disse que não queria mais fazer o tratamento, tentei convencê-lo a continuar, mas ele não queria. Muitas vezes chorei escondida por conta da situação”, contou.

Com a experiência de 16 anos na profissão, sendo 13 no atendimento aos pacientes oncológicos, a enfermeira fez uma proposta para motivar o paciente. “Como ele é flamenguista, brinquei perguntando se ele continuaria com as sessões de radioterapia caso o Gabigol falasse com ele. Quando ele riu, pensei, ‘é nessa que vou’”, explicou.

Decidida a conseguir vídeos de incentivo, Renata foi às redes sociais para contar a história do jovem. Mobilizou diversos colegas e amigos para também compartilharem o caso em seus perfis.

Aos poucos, a campanha foi ganhando força e chegando aos jogadores. O primeiro vídeo que eles receberam foi o de João Gomes, volante do Flamengo, que tem quase a mesma idade de João Victor. Cerca de um mês depois, a surpresa foi ainda maior com a mensagem do maior ídolo: Neymar Júnior.

“Fala, João Victor. Quem tá falando é o Neymar. Passando para te mandar um grande abraço, te desejar muita força. Espero que você se recupere logo e possa realizar seu sonho. Beijo enorme. Fica com Deus”, disse o craque do Paris Saint-Germain na mensagem.

“Quando eu recebi o vídeo do Neymar, saí pulando de alegria e gritando. Eu nem podia fazer aquilo”, explicou.

“Lembro que eu fiquei tão feliz que parecia que era comigo. Saí pulando, as pessoas chorando, emocionadas. Corri para contar para a mãe dele. Então, foi uma corrente do bem, uma corrente de amor”, contou a enfermeira.

Depois de Neymar, Vinicius Junior e Marcelo, ambos do Real Madrid, também enviaram vídeos. João Victor continuou o tratamento e após 33 sessões de radioterapia, recebeu a notícia de que estava curado do câncer.

“A enfermeira Renata foi crucial para mim. Por conseguir vídeos de ídolos do futebol, que é o esporte que sou apaixonado desde criança. Ela foi uma segunda mãe para mim e para minha família”, disse.

Mais Recentes da CNN