Comitê Científico do RJ aprova queima de fogos em Copacabana

Após decisão, governo do estado e município devem se reunir para decidir condições para a celebração

Cleber Rodriguesda CNN

Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O Comitê Científico do RJ aprovou a queima de fogos no Réveillon 2022. A informação foi confirmada à CNN Brasil por fontes ligadas ao governo do estado.

Segundo apuração, apesar da autorização, o grupo técnico que assessora as decisões de Cláudio Castro, recomendou que não sejam realizadas apresentações musicais públicas e que municípios elaborem um planejamento para evitar aglomerações.

A Ata com a posição do Comitê deve ser publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (09/12) e a decisão sobre o evento nas condições sugeridas pelo grupo, caberá à Castro e Paes.

Uma das possibilidades é limitar público, proibindo estacionamento em Copacabana e sem esquema especial de transporte público.

A decisão ocorre quatro dias após o prefeito do Rio, Eduardo Paes, anunciar o cancelamento da festa de Réveillon na cidade. Segundo Paes, o motivo seria uma decisão preliminar do Comitê do Estado para não realização da festa.

No dia seguinte, porém, a fala do prefeito foi contestada pelo Secretário de Saúde do Estado, Alexandre Chieppe, que afirmou que o posicionamento oficial do Comitê ainda não havia sido dado.

Na segunda (06), Eduardo Paes apresentou uma proposta ao governador Cláudio Castro para realizar apenas a queima de fogos, com música em caixas de som espalhadas pela orla de Copacabana.

Nesta quarta-feira (8), o diário oficial do município do Rio de Janeiro trouxe a homologação do pregão eletrônico para a escolha da empresa que fará o espetáculo pirotécnico da praia do Flamengo, na zona Sul do Rio de Janeiro.

A prefeitura vai gastar R$413 mil para contratar a empresa Inside Fx, que já tinha prestado o serviço em 2019, para voltar a ocupar as balsas que disparam fogos na praia.

Além da praia do Flamengo, a cidade do Rio de Janeiro ainda prevê queima de fogos na Igreja da Penha e na praia de Copacabana.

No caso da Penha, a autorização para o pregão eletrônico foi publicada no diário oficial da cidade no início de dezembro.

Mais Recentes da CNN