Correspondente Médico: O que são corticoides e qual a relação com a Covid-19?

OMS recomenda uso apenas em casos graves da doença; neurocirurgião Fernando Gomes explica os efeitos colaterais

Da CNN

Ouvir notícia

Um estudo realizado por pesquisadores brasileiros e publicado nessa quarta-feira (2) na revista científica Journal of the American Medical Association (Jama) concluiu que o tratamento com corticoide pode reduzir o tempo de uso de respirador por pacientes graves da Covid-19.

Os resultados passaram por uma metanálise capitaneada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o que significa que as conclusões foram analisadas em outro estudo. A compilação desses estudos mostrou redução de mortalidade entre 20% e 30%.

Na edição desta quinta-feira (3) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou o que são os corticoides, para que servem, efeitos colaterais e qual a relação do medicamento com a Covid-19. “O que estamos percebendo agora é a ciência encontrando peças que são fundamentais para compreender o vírus”, iniciou

“Sendo o corticoide um anti-inflamatório hormonal, que inclusive pode ser produzido pelo próprio corpo, existe uma influência no sistema imunológico e na resposta inflamatória como no caso do novo coronavírus. Quando você tem uma infecção por um vírus, ele vai lesionar as células que estão se dividindo.”

Leia também:
Correspondente Médico: Existe risco em medir a temperatura pela testa?
Correspondente Médico: Por que tomar vacina é questão de saúde pública?
Corticoide pode ser ‘solução’ em casos graves da Covid-19, diz imunologista
Entenda como corticoides atuam em tratamentos experimentais de Covid-19

Correspondente Médico: O que são corticoides e qual a relação com a Covid-19?
Correspondente Médico: O que são corticoides e qual a relação com a Covid-19?
Foto: Reprodução/CNN

E continuou: “Quando existe uma resposta inflamatória, ela atrapalhará o funcionamento de outros órgãos como o pulmão. Ao dar o medicamento, consigo perceber que a resposta inflamatória fica proporcional ao que já era esperado e o órgão deixa de ficar acometido em uma proporção muito grande”

O especialista explica ainda que administração do medicamento em casos graves da Covid-19 já mostraram a redução no tempo de intubação do paciente com o vírus.

“Através da administração do corticoide você consegue modular como a resposta inflamatória vai acontecer. Com isso, já se provou que após a medicação o indivíduo reduziu a necessidade da ventilação mecânica em três dias.”

No entanto, o médico alertou para a cautela na utilização do anti-inflamatório, uma vez que ele não deve ser administrado como forma de prevenção e de imunização. “Este tipo de medicamento combate os problemas secundários da Covid-19 e pode causar efeitos colaterais graves”, enfatizou.

“Quem usa o corticoide a longo prazo pode apresentar inchaço pelo corpo, aumento da pressão arterial, acne, espinha e estrias. Algumas complicações graves também são registradas como a infecção por outros agentes infecciosos além de provocar a formação de úlceras no estômago. É preciso ter cautela”, finaliza.

(Edição: André Rigue)

Mais Recentes da CNN