Efeitos do tsunami de Tonga foram sentidos no Brasil 17 horas depois

Segundo o IBGE, fenômeno elevou em oito centímetros o nível do mar no Rio de Janeiro

Erupção de vulcão submarino foi registrada por um satélite
Erupção de vulcão submarino foi registrada por um satélite Reprodução

Stéfano Sallesda CNN

Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O tsunami no arquipélago de Tonga, na Oceania, ocorrido no dia 15 de janeiro, foi percebido no Brasil 17 horas depois da ocorrência do fenômeno. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (21), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A detecção ocorreu na Estação de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, uma das seis deste tipo mantidas pelo instituto, que integram a Rede Maregráfica Permanente para Geodésia. O fenômeno gerou elevação de oito centímetros no nível do mar.

Everton Gomes dos Santos, engenheiro agrimensor do IBGE aponta que a alteração foi breve. “Houve uma discrepância significativa entre a previsão astronômica de maré e a altura do nível d’água do local. Logo depois de aproximadamente um dia, os níveis começaram a voltar ao normal”, afirma.

O fenômeno não foi percebido nas outras cinco estações maregráficas ativas no país. Elas ficam em Belém (PA), Fortaleza (CE), Imbituba (SC), Salvador (BA) e Santana (AP).

O tsunami ocorrido em Tonga teve início após uma forte erupção ocorrida no Hunga-Tonga-Hunga-Há’apai, um vulcão submerso no Pacífico que elevou o nível das ondas. Elas chegaram a alcançar 1,2 metro e atingiu a costa do arquipélago, que tem cerca de 100 mil habitantes.

O episódio deixou um saldo de pelo menos três mortos em Tonga, onde muitas localidades ficaram sem acesso a energia elétrica. Na última quinta-feira (20), os primeiros voos de ajuda humanitária, oriundos das vizinhas Austrália e Nova Zelândia, começaram a chegar ao arquipélago.

O auxílio começou a chegar depois de um alerta sobre a possível escassez de alimentos no país. O incidente ambiental gerou cinzas e detritos vulcânicos. Eles atingiram a pista do aeroporto internacional, que precisou ser limpa para receber as doações.

Mais Recentes da CNN