Empresa coloca nível de emergência máximo em dique de barragem que transbordou em MG

Vallourec classificou como "situação elevada de emergência" e moradores da região inundável já foram removidos para local seguro

Trecho da BR-040 afetado por transbordamento de dique na Mina de Pau Branco, na cidade de Nova Lima/MG.
Trecho da BR-040 afetado por transbordamento de dique na Mina de Pau Branco, na cidade de Nova Lima/MG. Reprodução

André RosaLéo Lopesda CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A empresa Vallourec classificou com o nível de emergência máximo o dique da barragem da Mina de Pau Branco, na cidade mineira de Nova Lima, que transbordou e interditou trecho da rodovia BR-040 neste sábado (8).

Nessa situação, que foi classificada como “de elevada emergência”, a mineradora informa que é necessário a implementação de um plano mais rigoroso, que inclui a evacuação dos moradores da região que pode inundar.

De acordo com a Vallourec, os residentes foram removidos antes mesmo da reclassificação do nível de criticidade.

Na noite de sábado (8), a empresa mineradora teve suas atividades suspensas em decisão emitida pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais. O pedido, feito pelo Ministério Público e pelo estado de Minas Gerais.

Em entrevista à CNN neste domingo (9), o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), disse que a Vallourec será autuada em R$ 1 milhão por dia até que a situação de transbordamento seja restabelecida. A empresa afirmou à CNN que não foi notificada de qualquer medida judicial.

Mesmo com a classificação de alerta máximo de criticidade para o dique Lisa, da barragem Santa Bárbara, a empresa afirma que a estrutura do dique permanece estável.

“A Vallourec ainda reforça que o Dique Lisa e a Barragem Santa Bárbara são estruturas distintas e localizadas em pontos diferentes da Mina Pau Branco. O dique em questão, localizado em Nova Lima, operava normalmente, em nível zero de criticidade e dentro dos parâmetros previstos na legislação vigente”, informou a Vallourec em nota.

A empresa ainda informa que está trabalhando com especialistas para providenciar a remoção de mais de 400 animais silvestres da região para criadouros e viveiros credenciados por órgãos ambientais.

“A Empresa reforça que está trabalhando em conjunto com os órgãos e autoridades competentes e continua empenhada em minimizar os transtornos ocorridos e restabelecer a normalidade da situação”, conclui o comunicado.

Relembre imagens do impacto das chuvas em Minas Gerais

Mais Recentes da CNN