Entenda como é calculado o índice de calor

Além da temperatura, Inmet leva em conta umidade do ar

Ouvir notícia

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de “grande perigo” até a próxima sexta-feira (9). De acordo com o Instituto, há risco de morte por hipertermia em grande parte da região Centro-Oeste e no estado do Tocantins, no Norte do país.

“Estamos tendo uma onda de calor recorde no país e isso fez com que o Inmet emitisse esse alerta de onda de calor, porque quando o índice de calor passa de 54ºC, que é fácil de passar, traz um certo risco para a população”, explicou Francisco de Assis, meteorologista do Inmet.

De acordo com o especialista, o índice de calor nada mais é do que um parâmetro para a meteorologia monitorar os riscos à saúde humana. Ela  visa determinar o efeito da umidade relativa sobre a temperatura aparente do ar. Portanto, é uma medida utilizada para definir a intensidade do calor que a pessoa sente, variando em função da temperatura e da umidade.

Leia também:

Correspondente Médico: Qual a temperatura máxima que o corpo pode aguentar?
Calor recorde pede mais atenção e cuidados com crianças, idosos e pets
Ar-condicionado tem alta de 222% nas buscas por causa do calor no país

Calor bate recorde em São Paulo em virtude de massa de ar quente
Calor bate recorde em São Paulo em virtude de massa de ar quente
Foto: ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

“Na segunda-feira, por exemplo, a temperatura do ar chegou a 43,8º C em Cuiabá, se umidade do ar estiver em 30%, esse índice de calor chega a 52º C. Portanto, quando esse índice de calor passa de 54ºC, que é a umidade comparada com a temperatura, causa um desconforto muito grande [à saúde]”, explica.

Para manter-se fresco e hidratado, especialistas recomendam alimentação leve, evitar exposição ao sol entre as 10h e 16h e beber muita água.  “Além dos cuidados com a saúde, o nosso dever é alertar a população quando há possibilidade de chegar a este índice de calor. No entanto, estamos vivendo os meses mais quentes do ano”, conclui.

(Edição: Leonardo Lellis)

Mais Recentes da CNN