Escolas da rede municipal de SP não irão exigir comprovante vacinal de crianças

Apesar da prática de colher a carteirinha de vacinação ser usual, "a não-apresentação do documento não impede que o estudante frequente a unidade escolar", diz Prefeitura

Daniel Tavares/PCR

Bianca CamargoGiovanna Galvanida CNN

São Paulo

Ouvir notícia

A volta às aulas na rede municipal de ensino de São Paulo não será condicionada pela necessidade de apresentar o comprovante de vacinação contra a Covid-19, informou a Prefeitura da capital paulista à CNN em uma nota.

“As unidades escolares seguem Portaria Municipal e já possuem a prática da solicitação da carteirinha de vacinação no ato da matrícula e rematrícula, porém a não-apresentação do documento não impede que o estudante frequente a unidade escolar”, diz o comunicado.

No mesmo informe, a Prefeitura afirma que irá “incentivar” a imunização de crianças entre 5 e 11 anos, faixa etária que está liberada para tomar a vacina da Pfizer, em dosagem diferente, desde semana passada.

“A Prefeitura […] acredita que os paulistanos com filhos com idade entre 5 e 11 anos vão aderir à campanha, pois já demonstraram confiar na vacina e contribuíram decisivamente para tornar a cidade a capital mundial da vacina”, completa a nota.

Com data de retorno marcada para o dia 7 de fevereiro, os mais de 1 milhão de estudantes da rede municipal ainda terão que seguir protocolos de segurança contra a Covid-19, como a aferição de temperatura na entrada dos colégios e o uso de máscaras.

O álcool em gel também continuará disponível aos alunos.

Mais Recentes da CNN