Escolas estaduais do Rio retomam ensino presencial nesta segunda-feira

10% dos alunos terão acesso ao modelo híbrido, com aulas pela internet e presenciais em dias alternados

Pauline Almeida, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

As aulas na rede estadual de ensino do Rio de Janeiro começam nesta segunda-feira (1º). Cerca de 90% dos alunos vão continuar no ensino remoto, com conteúdo por meio de um aplicativo, enquanto outros 10% terão acesso ao modelo híbrido, com parte pela internet e outra com aulas presenciais em dias alternados.

A volta às salas de aula depende das condições sanitárias de cada município. Terão prioridade aproximadamente 70 mil alunos em situação de maior vulnerabilidade social, que não têm acesso à tecnologia necessária para o ensino virtual.

As escolas da região metropolitana, onde o fluxo de pessoas é maior, devem funcionar das 10h às 15h para evitar que os alunos usem o transporte público nos horários de pico. Vale lembrar que a volta é facultativa. Quem seguir apenas pelo ensino remoto receberá os conteúdos por meio do aplicativo Applique-se.

Mesmo nos municípios em que não haverá aulas presenciais, a entrega dos kits de alimentação segue mantida, com agendamento direto com as direções das escolas.

Conteúdos

Para tentar minimizar os efeitos causados pela pandemia, os dois primeiros meses de aula serão destinados aos conteúdos do ano passado. Em março, os alunos vão trabalhar com os tópicos do 1º e 2º bimestres de 2020, enquanto em abril, com os do 3º e 4º bimestres, por meio de orientações, videoaulas e podcasts. Somente em maio, vão ser abordados os temas da série em que o aluno está matriculado atualmente.

O ano letivo da rede estadual começou oficialmente no dia 8 de fevereiro, mas o mês foi dedicado à aplicação de questionários socioemocionais para os alunos. Os testes foram feitos pelos estudantes presencialmente, por meio de agendamento, como uma forma de avaliar os reflexos da pandemia na aprendizagem e também entender como estão a motivação e as expectativas.

Adequações

Os colégios tiveram as salas adequadas para garantir o distanciamento social, ganharam dispensers com álcool em gel 70% e tapetes sanitizantes nas áreas de uso comum. O governo do Rio de Janeiro informou que foram adquiridas máscaras para servidores e alunos, além de luvas e face shield para os profissionais de educação.

A categoria segue em greve, com a defesa das atividades apenas pela internet devido ao temor do contágio pelo novo coronavírus enquanto a vacinação não é garantida à comunidade escolar. Segundo o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe-RJ), um buzinaço foi marcado para a próxima sexta-feira (5), em frente à Secretaria de Estado da Educação (Seeduc). Já no dia 18, os trabalhadores têm uma assembleia.

A Seeduc informou que vão continuar apenas em atividades remotas todos os professores e funcionários que se autodeclararam com comorbidades no fim do ano passado ou apresentaram laudo médico este ano.

Rede Municipal

Das 1.543 creches e escolas da capital fluminense, 38 retomaram as aulas presenciais na semana passada. Já nesta quarta-feira (3), mais 82 unidades voltam a receber alunos da pré-escola, primeiro e segundo anos do ensino fundamental. Com isso, até 23,5 mil estudantes serão atendidos pelo ensino presencial, mas a volta é facultativa. Os pais podem optar pelo ensino somente remoto.

A próxima fase, para alunos do 3º ao 5º Ano, 6º Ano Carioca, 9º Ano e Carioca II, terá início no dia 17/3. E a fase três, para alunos de creche, 6º ao 8º Ano, Educação de Jovens e Adultos e Classe Especial, começará a partir de 31 de março.

Mais Recentes da CNN