Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Foragidos do presídio de Mossoró são denunciados por rebelião no Acre

    A revolta no presídio Antônio Amaro Alves deixou cinco mortos e pelo menos três feridos em julho de 2023

    Rogério Mendonça (à dir.) e Deibson Nascimento (à esq.) fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró (RN)
    Rogério Mendonça (à dir.) e Deibson Nascimento (à esq.) fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró (RN) Divulgação/Secretaria Nacional de Políticas Penais

    Felipe Souzada CNN*

    Nesta terça-feira (5), o Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) denunciou à Justiça os envolvidos em uma rebelião ocorrida no Presídio Antônio Amaro Alves, em Rio Branco, em julho de 2023.

    O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) destacou, na acusação oferecida, a participação de dois foragidos da Penitenciária Federal de Mossoró, Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça, no incidente que resultou em cinco mortes e deixou pelo menos três feridos.

    O Gaeco identificou os denunciados, Deibson e Rogério, fugitivos da custódia federal em Mossoró no último dia 14, como peças-chave da rebelião na unidade prisional em Rio Branco.

    Segundo a denúncia, o ponto crucial do motim foi a transferência dos denunciados para o pavilhão 01, fato que iniciou as movimentações entre as celas e terminou com a revolta entre os presos.

    “O documento destaca ainda a pretensão dos envolvidos em buscar a libertação de membros-chave da organização, além da demonstração de força em relação a grupos rivais pela subjugação de seus líderes e a própria coerção da sociedade”, afirmou o MPAC.

    Segundo o órgão, o objetivo da denúncia é responsabilizar os envolvidos pela atuação durante e depois da rebelião na unidade de detenção. Os membros do Gaeco foram designados para atuar no apoio aos promotores com atribuição no Tribunal do Júri.

    Os homicídios ocorridos durante a prisão ainda são investigados pela Polícia Civil do Acre.

    *Sob supervisão de Bruno Laforé