Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Fugitivos escalaram luminária e cortaram cerca de presídio de segurança máxima, dizem fontes

    Autoridades apuram possibilidade de falha humana ou cooptação

    Presídio Federal em Mossoró
    Presídio Federal em Mossoró Reprodução

    Raquel LandimElijonas Maiada CNN

    Os dois presos que escaparam do presídio de segurança máxima de Mossoró, no Rio Grande do Norte, fugiram às 3h17 da madrugada, apurou a CNN. Os fugitivos escalaram uma das luminárias, tiveram acesso ao teto, cortaram a cerca e pularam. Ao contrário da penitenciária de Brasília, o presídio de Mossoró não tem uma muralha para contenção.

    Os investigadores trabalham com a possibilidade de falha humana ou cooptação. Isso porque ainda não há respostas sobre como eles atravessaram pelo menos 3 portas – cela, corredor e pátio – e como burlaram o circuito fechado de câmeras de TV.

    O Ministério da Justiça suspeita que uma obra no pátio do Presídio Federal tenha diminuído a segurança da unidade, acarretando a primeira fuga do Sistema Penitenciário Federal. Segundo integrantes do Ministério, por conta da obra, um detector de metais estava desativado e os agentes penitenciários não estavam passando pelo procedimento, então poderia entrar com material que normalmente é proibido.

    “A estrutura não é simples, tem até monitoramento”, disse um policial em relato reservado à CNN. As autoridades trabalham numa apuração rigorosa dos fatos para resgatar a credibilidade do sistema que, em 20 anos, nunca registrou uma fuga.

    Os dois foragidos são ligados ao Comando Vermelho. Procurado, o Ministério da Justiça não comentou.

    Fuga inédita

    Dois presos fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró (RN) nesta quarta-feira (14). A informação foi confirmada à CNN por integrantes do Sistema Penitenciário Federal.

    Esta é a primeira vez na história que há uma fuga registrada em presídio de segurança máxima. A primeira penitenciária do sistema federal foi inaugurada em junho de 2006. No Brasil, há cinco unidades. O setor de inteligência identificou a fuga e um alerta foi emitido a todos os policiais penais. A CNN apurou que os fugitivos são ligados ao Comando Vermelho.

    O secretário André Garcia, da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, está a caminho de Mossoró com integrantes da pasta. Garcia foi nomeado para o cargo na semana passada.

    A Polícia Federal já foi acionada para atuar na captura dos fugitivos e na investigação das responsabilidades pela fuga. A informação de momento é que seriam integrantes do Comando Vermelho. Os fugitivos foram identificados como Rogério da Silva Mendonça, vulgo Querubim, Chapa, Cabeça de Martelo ou Martelo; e Deibson Cabral Nascimento, conhecido como Tatu, Deisinho ou Deicinho.