Gabbardo: SP estuda a criação de uma fase mais restritiva do que a vermelha

Membro do Centro de Contingência da Covid-19 em São Paulo afirmou que a cidade pode voltar à fase vermelha em caso de piora na ocupação de leitos de UTI

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, o coordenador-executivo do Centro de Contingência da Covid-19 em São Paulo, João Gabbardo, afirmou que o governo estadual estuda a criação de uma nova fase do Plano São Paulo que seria acima da vermelha, a atualmente mais restritiva.

“Não consideramos o lockdown na forma conceitual, mas existe a possibilidade de mais regiões entrarem na fase vermelha. O Centro de Contingência também estuda a possibilidade de criar uma fase acima da vermelha, onde nem mesmo os serviços essenciais funcionariam em sua plenitude”, disse o coordenador à CNN.

Gabbardo se mostrou preocupado com a situação dos leitos na cidade de São Paulo, e quando questionado por que a cidade não foi à fase vermelha, disse que o Centro de Contingência segue os indicadores e que, em caso de piora nos números, a cidade vai, sim, voltar à fase vermelha.

“Se na próxima semana a ocupação de leitos de UTI, que atualmente é de 70%, chegar a 75%, a região metropolitana de São Paulo vai para a fase vermelha. Nesse caso, só vão funcionar os serviços essenciais.”

Leitos privados de UTI

O  coordenador-executivo do Centro de Contingência falou sobre a situação de leitos de UTI na cidade de São Paulo e disse que, atualmente, é mais difícil conseguir leitos em hospitais privados do que públicos no município.

“Hoje, as pessoas que procuram internar através de planos de saúde têm mais dificuldade de conseguir vagas do que pelo SUS. São Paulo é referência nacional, quem tem recursos pega um avião particular ou uma UTI móvel e vem para a cidade. Chegamos a estar com mais de 40% de pessoas ocupando leitos de UTI da cidade que não são da região metropolitana de São Paulo”, afirmou.

(Publicado por Daniel Fernandes)

Mais Recentes da CNN