Governo do Rio de Janeiro inicia projeto de ocupação do Jacarezinho

Complexo teve a operação mais letal do estado, com 28 mortes no ano passado; agentes também estão em comunidades próximas, como Manguinhos, Bandeira II e Conjunto Morar Carioca

Thayana AraújoPauline Almeidada CNN

Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Forças de segurança do Rio de Janeiro deram início, nesta quarta-feira (19), a um trabalho de ocupação no Complexo do Jacarezinho, na zona norte da capital. O território foi o mesmo em que, em maio de 2021, 28 pessoas morreram em uma operação – um policial e 27 considerados suspeitos.

Em uma postagem nas redes sociais, o governador Cláudio Castro (PL) disse que a operação policial será “um grande processo de transformação das comunidades do estado”. A publicação ressalta também que foram meses de elaboração de um programa para “mudar a vida de quem mora no Jacarezinho”.

Equipes das polícias Militar e Civil atuam na operação. Em nota, a assessoria de imprensa da PM informou que agentes também estão em comunidades próximas, como Manguinhos, Bandeira II e Conjunto Morar Carioca.

A assessoria da Secretaria de Estado de Polícia Militar informou também que o governo iniciou operação no Complexo de Muzema, que sofre influência das milícias.

A pacificação no Jacarezinho acontece oito meses depois da operação mais letal do Rio de Janeiro. Na ocasião, houve registro de intenso tiroteio, escolas foram fechadas e até uma composição do metrô, que passa no acesso, foi atingida.

As investigações que apuram as circunstâncias das mortes em maio do ano passado ainda não têm um desfecho. O Ministério Público do Rio criou uma força-tarefa para atuar na apuração dos fatos. Os trabalhos estão sob sigilo. Já o governo anunciou, em novembro do ano passado, o projeto do governo de ocupar o Jacarezinho.

Sobre a realização de operações policiais no Rio, o Supremo Tribunal Federal (STF) adiou a análise da ação sobre o tema. O julgamento chegou a ser iniciado no dia 15 de dezembro de 2021, mas foi suspenso pelo presidente do STF, ministro Luiz Fux, e só deve ser retomado este ano.

O relator, ministro Edson Fachin, chegou a votar a favor do recurso apresentado na ação e pela adoção de medidas para a redução da letalidade policial no Rio de Janeiro. O ministro Alexandre de Moraes divergiu parcialmente do relator.

Nota da Polícia Civil sobre operação de pacificação no Jacarezinho

A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol) informa que, nesta quarta-feira (19/01), o Governo do Estado do Rio de Janeiro iniciou a retomada do território da comunidade do Jacarezinho, na Zona Norte.

Comunidades próximas também serão policiadas durante a iniciativa, como a de Manguinhos, Bandeira II e Conjunto Morar Carioca.

A ação conta com 1.200 policiais, sendo 400 civis e 800 militares, e também visa a cumprir 42 mandados de prisão e 14 de busca e apreensão.

Mais Recentes da CNN