Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Homem é condenado a 329 anos de prisão por matar crianças e professoras em creche de Saudades (SC)

    Réu também deverá pagar indenização para familiares de vítimas e feridos no ataque

    Vítimas do ataque à escola em Saudades, no estado de Santa Catarina, são socorridas com auxílio de helicóptero da Polícia Civil
    Vítimas do ataque à escola em Saudades, no estado de Santa Catarina, são socorridas com auxílio de helicóptero da Polícia Civil Foto: Serviço Aeropolicial da Polícia Civil de Santa Catarina

    Douglas Portoda CNN em São Paulo

    Após decisão do júri popular, a Justiça de Santa Catarina condenou o homem acusado de matar três crianças e duas professoras em uma creche em Saudades (SC)

    Ele foi sentenciado a 329 anos de prisão nesta quinta-feira (10). Cabe recurso contra a decisão sobre o crime, ocorrido em maio de 2021.

    O réu também deverá pagar indenização para as vítimas, sendo:

    • R$ 500 mil para cada família dos assassinados;
    • R$ 400 mil para os familiares do bebê que foi socorrido a tempo de se recuperar;
    • e mais R$ 40 mil para cada uma das 14 pessoas que sofreram tentativa de homicídio.

    A comarca de Pinhalzinho, onde o caso tramitou, analisou os cinco homicídios consumados e as 14 tentativas de homicídio.

    Relembre o caso

    Em maio de 2021, o homem, na época com 18 anos de idade, invadiu a Escola Infantil Pró-Infância Aquarela, no oeste catarinense, e, com uma adaga – espécie de espada – golpeou fatalmente duas professoras e três bebês. Um menino, com menos de 2 anos, foi socorrido e conseguiu se recuperar.

    Segundo a acusação, o homem tentou fazer outras vítimas, mas foi impedido por professoras que perceberam o atentado e trancaram as portas e janelas das salas, impedindo a entrada do agressor.

    Após o ataque, ele foi detido por populares e entregue às autoridades, confessando o crime à polícia posteriormente. O réu está preso preventivamente desde então.

    Veja também: Explosão na Rússia deixa um morto e oito desaparecidos