Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Se sentar na calçada, vejo três assaltos em meia hora”, diz morador do centro de SP

    Roubos e furtos são vistos todos os dias por quem frequenta a região, que conta com policiamento reforçado

    Bar Brahma, no centro de SP, é atacado por assaltantes
    Bar Brahma, no centro de SP, é atacado por assaltantes Reprodução

    Carol Raciunasda CNN*

    Com dois ataques ao comércio só nesta semana, moradores do centro de São Paulo relatam aumento no clima de tensão. O Bar Brahma e uma unidade da rede Mc Donald’s, alvos de vandalismo, colocaram em destaque, nos últimos dias, a criminalidade na região já associada a crimes de roubo e furto.

    Lucas Carvalho, morador da região, conta que a crescente violência impacta a sua rotina: “Eu moro bem próximo ao Bar Brahma. Sempre dá medo de passar lá durante a noite. Eu nunca desço na estação da República, mesmo que seja a mais próxima de casa. Eu já fui roubado naquela mesma esquina, em 2021, então evito e faço um trajeto com mais pessoas e movimento na rua.”

    Para conter a crise, segundo o prefeito Ricardo Nunes (MDB), o patrulhamento da capital deve receber 1.500 policiais e a remuneração deve aumentar para policiais militares que atuarem para a prefeitura em dia de folga.

    Ainda assim, segundo Carvalho, a quantidade de policiais é insuficiente para conter os assaltantes, que se organizam em grupos. O morador conta que, além dos assaltantes, há quem ande em bando, de bicicleta, para roubar o celular de pedestres.

    “Se eu sentar na calçada e ficar meia hora, vejo pelo menos três assaltos ou furtos. Vejo quase todos os dias, é muito recorrente. Direto você ouve um ‘pega ladrão’. De final de ano acaba sendo bem pior. Eu fui roubado uma vez só, mas já corri mais de cinco vezes”, conta Carvalho.