MP pede reforço da PF ‘para evitar risco de conflito’ onde indigenista foi morto

População local foi orientada a não fazer contato direto e a chamar Funai ou polícia caso avistem índios isolados

Rudá Moreira, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia
O indigenista Rieli Franciscato em palestra em terra índigena
O indigenista Rieli Franciscato em palestra em terra índigena
Foto: Mario Vilela/Funai (13.nov.2014)

Dois dias após a morte do indigenista Rieli Franciscato, com uma flechada no peito nos limites da Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, em Rondônia, o MPF (Ministério Público Federal) solicitou reforço da Polícia Federal na região habitada por povos nativos isolados, “para evitar o risco de conflito entre o grupo e a população”.

Nesta sexta-feira (11) o MPF também afirmou haver possibilidade de que a “pressão territorial” tenha levado os indígenas para fora da reserva — onde foram avistados, na última quarta (9), culminando no que o órgão chamou de “trágica morte” de Rieli.

Leia também:

Coordenador da Funai morre após levar flechada, em Rondônia

PF e Funai investigam morte de agente defensor de indígenas isolados

“Recentemente, indígenas isolados foram avistados em propriedades rurais provavelmente em busca de comida ou instrumentos domésticos para auxílio nas caças, possivelmente impulsionados a se deslocarem para fora do território em virtude de pressão territorial causada por invasões ilícitas”, disse o MPF, em nota.

O órgão também ressaltou, nesta sexta, que “até o momento, todos os elementos apontam que o referido fato não tem repercussão criminal, já que foi praticado por pessoas que, devido à situação de isolamento cultural, não tinham condições de avaliar se estavam em risco”.

No centro, o indigenista Rieli Franciscato
No centro, o indigenista Rieli Franciscato
Foto: Roberto Ossak/Arquivo Pessoal

A PF e a Funai (Fundação Nacional do Índio) assumiram a investigação da morte de Rieli, por se tratar de morte de servidor durante o trabalho. Os agentes já estão no local desde quinta-feira (10).

Os moradores de Seringueiras (RO), a cidade mais próxima, foram orientados, segundo o MPF, a chamar a Funai ou a polícia caso outro índio isolado seja avistado e a não abordar, ameaçar ou agredir o grupo.

Os policiais federais solicitados pelo MPF também terão a função prevenir o contato acidental pela Covid-19 entre indígenas isolados e não-indígenas.

De acordo com o monitoramento do Instituto Socioambiental, a Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau é ocupada por cerca de 209 índios.

Mais Recentes da CNN