Neca Setubal: Pensar em ensino domiciliar no Brasil é preocupante

Câmara aprovou texto-base que cria regras para ensino domiciliar no Brasil; pesquisa indica que modelo é rejeitado por 80% da população

Fabrizio Neitzkeda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Especialista CNN em inclusão social, Neca Setubal, falou nesta quinta-feira (19) sobre a aprovação do texto-base na Câmara dos Deputados para o ensino domiciliar no Brasil, uma das principais pautas dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL). Uma pesquisa divulgada pelo Datafolha nesta semana, porém, aponta que oito a cada dez brasileiros rejeitam a modalidade.

Para a especialista, a adoção do modelo é “preocupante” por se restringir a olhar apenas o currículo escolar, ignorando outros aspectos relevantes para a formação infantil.

“A educação é muito mais que o currículo. A escola é o primeiro espaço público que as crianças têm acesso. É o lugar da convivência, da socialização, da troca, das brincadeiras. A escola também é o espaço onde as crianças podem respeitar as diferenças. Elas têm que conviver com crianças de diferentes religiões, raças, ideologias. Isso é muito importante em um momento onde estamos vivendo tantas intolerâncias em relação às diferenças”, afirmou.

Setubal também defendeu a escola como um espaço para que os jovens possam trabalhar em grupo, considerando a atividade como “fundamental” no século 21 ao fazer com que crianças aprendam a ouvir, falar, expor ideia e trabalhar em conjunto.

Ainda segundo a Especialista CNN, as condições socioeconômicas de parte dos brasileiros põe em xeque a segurança do projeto.

“Acho muito difícil que no Brasil, um país com condições tão diferentes, desigualdades tão grandes, a gente tenha certeza que estas crianças que não estarão na escola terão uma aprendizagem de qualidade assegurada pelos pais”, finalizou.

Veja mais no vídeo acima.

Mais Recentes da CNN