O que é um ‘ciclone bomba’, que está causando estragos no Sul do país

Milhares de pessoas ficaram sem energia elétrica e ao menos sete morreram na região

Galpão destruído por passagem de "ciclone bomba" no município de Palmitos, em Santa Catarina
Galpão destruído por passagem de "ciclone bomba" no município de Palmitos, em Santa Catarina Foto: Divulgação / Defesa Civil de Santa Catarina

Ouvir notícia

Um fenômeno chamado “ciclone bomba” causou diversos estragos no Sul do país na noite dessa terça-feira (30), além de matar ao menos dez pessoas. Ainda nesta quarta (1º), os efeitos dele podem atingir estados do Sudeste e chegar até mesmo na Bahia, segundo a Marinha.

Ciclone é um termo genérico usado para descrever o fenômeno que se forma a partir de um sistema de baixa pressão (quando há muitas nuvens e chuvas), em regiões tropicais e subtropicais.

Já o “ciclone bomba” é formado quando há uma queda expressiva da pressão atmosférica em um intervalo de 24 horas. De acordo com o Climatempo, o fenômeno causa ventos muito fortes e acaba deixando o mar mais agitado, já que nessa situação há menos força do ar sobre a superfície da água, elevando a altura das ondas e o risco de ressaca.

Assista e leia também:

Ciclone, tufão, furacão, tempestade: a diferença entre esses fenômenos naturais

‘Ciclone bomba’ causa mortes e estragos no Sul; veja vídeos

Apesar de assustar a população com a força dos ventos, a ocorrência é “relativamente comum” para esta época, segundo o meteorologista do Climatempo André Madeira. “São relativamente comuns nesta época do ano, e ocorrem aqui, no litoral do país, na região Sul, principalmente entre maio e setembro. São áreas de baixa pressão que, geralmente, se formam associados à uma frente fria”, disse ele.

Segundo o Climatempo, a previsão para esta quarta (1º) é que a pressão do ar caia ainda mais e os ventos cheguem a 80 km/h na região Sul, e até 100 km/h em algumas cidades do sul e do leste do Rio Grande do Sul.

Em Santa Catarina, a Defesa Civil informou que ainda deve haver fortes rajadas de vento, de mais de 100 km/h durante a tarde. O mar continua agitado e pode ter ondas que superem quatro metros de altura. Após passagem do ciclone, uma onda de frio vai derrubar as temperaturas máximas e mínimas no estado até sábado (4).

A cidade de São Paulo amanheceu com temperaturas amenas nesta quarta e o dia deve seguir nublado, de acordo com informações do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da Prefeitura de SP. Na quinta, o ar seco de origem polar ganha força e os termômetros podem cair a 8ºC durante a manhã.

Mais Recentes da CNN