Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    ONG encontra 23 carcaças de botos em Coari, no Amazonas

    Mortes estão associadas à seca na região e ao baixo nível dos lagos

    23 carcaças de botos são encontradas por ONG em Coari, no Amazonas
    23 carcaças de botos são encontradas por ONG em Coari, no Amazonas Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá

    Marcos Rosendoda CNN

    em São Paulo

    A seca no Amazonas continua provocando danos à biodiversidade da região. 23 carcaças de botos-vermelhos e tucuxis foram encontradas em um lago no município de Coari, no interior do estado.

    A morte dos animais foi registrada pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM) em parceria com a Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

    De acordo com os funcionários da ONG, a maioria das carcaças se encontrava em estado avançado de decomposição, o que indica que os botos morreram em dias anteriores.

    Os pesquisadores colheram amostras para análise que vão determinar as causas das mortes, que estão associadas à seca que atinge o Amazonas, provocando a queda do nível da água dos lagos e o aumento da temperatura.

    A universidade Federal do Amazonas instalou sensores automáticos de temperatura no lago Coari e colheu amostras da água para análise físico-química.

    O temor da equipe de professores e pesquisadores é que a temperatura da água volte a subir, uma vez que o nível do lago segue muito baixo. Medições recentes indicaram que a temperatura no lago tem se mantido entre 36°C e 37,7°C.

    Mortes de Botos no Médio Solimões

    Desde o dia 23 de setembro, 155 botos-vermelhos e tucuxis morreram na região do Lago Tafé, no Médio Solimões, no interior da Amazônia.

    Além da seca e queda do nível da água nos lagos, há uma forte variação de temperatura durante o dia, que varia de 28°C e 38°C. Até o momento, todos os testes de análises histológicas em laboratório não indicam morte por agente infeccioso.

    A Operação de Emergência Botos Tefé foi dividida em três frentes principais: Setores Operação Vivos, Operação Mortos e Monitoramento Ambiental.

    O Setor Operação Vivos tem o objetivo de monitorar os grupos de botos e tucuxis ao longo do Lago Tefé. No caso de algum animal apresentar sinais de anormalidade, há condições de resgatá-lo e encaminhá-lo ao Flutuante de Reabilitação para monitoramento e possível tratamento e intervenção.

    Seca extrema no Amazonas dificulta o abastecimento de comunidades