ONG vai doar 530 toneladas de alimentos para vítimas de catástrofes no Brasil

Campanha da Ação da Cidadania vai doar o equivalente a 2,6 milhões de pratos de comida para moradores de pelo menos cinco estados atingidos pelas chuvas

Minas Gerais, Maranhão, Tocantins, Pará e Bahia irão receber as doações de alimentos
Minas Gerais, Maranhão, Tocantins, Pará e Bahia irão receber as doações de alimentos Divulgação/Ação da Cidadania

Nathalia Teixeirada CNN*

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Mais de 530 toneladas de alimentos estão sendo entregues para vítimas de catástrofes no país. A campanha SOS Enchentes Brasil, uma mobilização nacional direcionada ao acolhimento e auxílio imediatos às regiões acometidas por desastres, foi lançada pela Ação da Cidadania.

A ONG está levando doações para municípios de Minas Gerais, Maranhão, Tocantins, Pará e Bahia. No total, a quantidade de alimentos é equivalente a 2,6 milhões de pratos de comida. No início de 2020, a Ação da Cidadania já havia doado 100 mil quilos de alimentos para vítimas das chuvas no Sudeste.

Atualmente, a Ação ampliou a distribuição de doações para estados afetados por enchentes, inundações e alagamentos. Além de alimentos, água, itens de higiene, colchões e roupas com ajuda de parcerias.

“A campanha SOS Enchentes Brasil vai olhar para quem precisa de ajuda urgente, pessoas que de uma hora para outra tiveram suas casas e referências destruídas, tudo o que foi construído ao longo da vida. O recomeço é difícil e lento, mas assim como em todas as nossas campanhas, o poder da solidariedade transforma a vida de muita gente”, explica Rodrigo ‘Kiko’ Afonso, diretor-executivo da Ação da Cidadania.

Recentemente, a organização também doou 300 toneladas de alimentos para famílias do sul da Bahia que sofreram recentemente com as fortes chuvas.

As doações podem ser feitas por meio do site da ong Ação da Cidadania ou pelo PIX | CNPJ: 00346076000173.

A ONG Ação da Cidadania foi fundada em 1993, pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, é reconhecida pelo combate à fome e criação de políticas públicas de segurança alimentar.

(*Sob supervisão de Isabelle Resende)

Mais Recentes da CNN