Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Paes diz que ainda é cedo para decisão sobre Carnaval, mesmo após aval do Comitê

    Em reunião nessa segunda-feira (20), Comitê Científico da prefeitura do Rio disse que, no cenário atual, não há necessidade de restrições para realização do evento em 2022

    Iuri Corsinida CNN

    no Rio de Janeiro

    Ouvir notícia

    O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou que ainda não há nada decidido sobre a festa de Carnaval, mesmo após o Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC), da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), ter indicado que não há necessidade de restrições para a realização do evento em 2022.

    Em agenda nesta quarta-feira (21), Paes destacou que faltam dois meses e meio para o Carnaval, e que este não é o momento para tal definição. No entanto, o prefeito reforçou que, se a festa acontecesse agora, dentro das regras vigentes, ela seria realizada sem restrições – inclusive com o desfile dos blocos de rua.

    “O Comitê disse que, nas circunstâncias atuais, não há nenhum elemento que faça a gente ter nenhum tipo de restrição. Mas faltam ainda dois meses e meio para o Carnaval, então a gente vai tomar essa decisão mais na frente. Temos que identificar que no Carnaval existem várias manifestações. Temos o estádio do Samba, que é a Sapucaí, tem bailes fechados e temos o carnaval de rua”, disse Paes.

    “Tomara que a gente esteja assim até lá. E, se tiver, tenho certeza que o Comitê voltará a respaldar a decisão sobre a realização do Carnaval sem restrições. Mas ainda é muito cedo para tomar qualquer decisão”, concluiu o prefeito.

    Apesar de Paes ter reconhecido que a realização de desfiles de blocos de rua é mais complexa, tendo em vista a difícil fiscalização, Rita Fernandes, presidente da  Associação Independente dos Blocos de Rua da Zona Sul, Santa Teresa e Centro da cidade (Sebastiana), se mostrou otimista com a volta dos blocos às ruas cariocas.

    “Nós recebemos com muita alegria a notícia do parecer do Comitê Científico, principalmente por saber que estamos vencendo a pandemia e que o trabalho feito pelos órgãos de saúde está sendo muito positivo através da vacinação e da grande adesão do carioca. Estamos bastante otimistas e acreditamos que vamos conseguir fazer o carnaval, apesar de ainda estarmos alertas e vigilantes em relação ao cenário pandêmico”, comemorou a presidente.

    No entanto, Fernandes concorda com a cautela adotada pelo prefeito e diz que ainda é cedo para uma decisão definitiva. De acordo com Rita, a Sebastiana deve emitir um parecer em meados de janeiro.

    “Fazer o Carnaval será uma alegria imensa, mas manteremos ainda uma certa vigilância para o que vai acontecer depois do ano novo, após as festas do Réveillon. Então nossa decisão definitiva vai acontecer por volta do dia 15 ou 20 de janeiro, quando nós teremos um cenário bastante realista em relação ao que aconteceu após as festas de fim de ano. O Comitê Científico continua sendo o nosso guia e vamos sempre nos basear justamente pelo parecer do comitê”, disse.

    À CNN, o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Jorge Perlingeiro, também se mostrou otimista com a realização do desfile no ano que vem, celebrou o parecer do Comitê e destacou o importante papel do avanço da vacinação no Rio.

    “Estamos todos muito felizes e esperançosos. Os barracões estão funcionando a pleno vapor e as verbas já estão chegando através das parcerias firmadas. Isso nos dá muita segurança”, destacou.

    Perlingeiro reforçou, ainda, que todos que vão desfilar na Sapucaí terão que apresentar o comprovante da vacina para poder retirar suas fantasias e participar da festa.

    Atualmente, a cidade do Rio tem 5.404.062 de pessoas com o ciclo vacinal completo, o que corresponde a 80,1% da população total da cidade. Destas, 1.364.256 já receberam a dose de reforço.

    Mais Recentes da CNN