Passaporte da vacina não será obrigatório em bares e restaurantes de SP

Prefeitura de SP afirmou que exigência de comprovante de vacinação será facultativa em estabelecimentos comerciais

Evelyne Lorenzettida CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O “passaporte da vacinação” contra a Covid-19, anunciado pela Prefeitura de São Paulo nesta segunda-feira (23), não será obrigatório para frequentar bares e restaurantes da cidade, afirmou para a CNN o Secretário Municipal da Saúde da capital, Edson Aparecido.

O certificado será obrigatório apenas para eventos realizados na capital paulista, como feiras, congressos ou partidas de futebol. Estabelecimentos que já funcionam normalmente na cidade estão fora da lista.

A Prefeitura confirmou a informação na noite desta segunda: “A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, entende que deva ser obrigatória a exigência do comprovante de vacinação para frequência de pessoas em grandes eventos, como feiras, congressos e espetáculos; e facultativa para locais de fluxo e permanência eventual de pessoas, como bares, restaurantes e centros comerciais”, afirma.

A decisão contradiz o divulgado pela Prefeitura na tarde desta segunda. Em nota, o governo da cidade afirmava que iria “disponibilizar os dados das pessoas imunizadas na capital para comerciantes e organizadores de eventos por meio da plataforma e-SaúdeSP. A partir disso, será possível controlar a entrada de apenas pessoas vacinadas em eventos e estabelecimentos comerciais”.

O plano da Prefeitura com o certificado de vacinação é evitar a circulação de pessoas sem imunização na cidade. O público teria que apresentar o comprovante físico de que foi vacinado ou via o aplicativo “e-Saúde” para ter acesso a tais eventos. A previsão é que as medidas comecem a valer a partir da próxima semana.

Segundo dados do site “Vacina Já”, do governo do estado de São Paulo, a capital já tem mais de 4,1 milhões de pessoas imunizadas com a segunda dose da vacina contra a Covid-19. Nesta segunda-feira, a cidade de São Paulo começou a vacinar adolescentes de 12 a 15 anos com deficiência, comorbidades, gestantes e puérperas.

Confira a íntegra da nota da Prefeitura de SP

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, entende que deva ser obrigatória a exigência do comprovante de vacinação para frequência de pessoas em grandes eventos, como feiras, congressos e espetáculos; e facultativa para locais de fluxo e permanência eventual de pessoas, como bares, restaurantes e centros comerciais.

Contudo, o tema está em estudo na Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa).

Assim que o protocolo estiver concluído, será amplamente divulgado.

Mais Recentes da CNN