Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Polícia investiga embalagem de fentanil encontrada durante operação no Rio

    Droga que é hoje a mais letal dos EUA teria sido apreendida durante megaoperação contra o crime no Complexo da Maré. Resultado da perícia sai em dez dias

    Embalagem com a identificação da droga foi encontrada por agentes de segurança na segunda-feira (9), dentro de uma casa na comunidade Nova Holanda, na Maré
    Embalagem com a identificação da droga foi encontrada por agentes de segurança na segunda-feira (9), dentro de uma casa na comunidade Nova Holanda, na Maré Divulgação/Governo do Rio de Janeiro

    Rachel Amorimda CNN

    no Rio de Janeiro

    A polícia do Rio de Janeiro aguarda o resultado da análise do material que seria de fentanil apreendido durante a megaoperação contra o crime organizado deflagrada no Complexo de favelas da Maré, na zona norte da capital.

    A embalagem com a identificação da droga foi encontrada por agentes de segurança na segunda-feira (9), dentro de uma casa na comunidade Nova Holanda, na Maré.

    A amostra foi encaminhada para perícia. Segundo o secretário da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Luiz Henrique Pires, o resultado sai em dez dias.

    “É uma droga que afeta a saúde, a gente está muito preocupado. Estamos esperando o resultado do laudo para definir como será o combate”, disse o secretário.

    O fentanil é apontado atualmente como a droga que mais mata nos Estados Unidos. O citrato de fentanila, como também é chamado, é 50 vezes mais forte que a heroína e 100 mais forte que a morfina.

    Se a suspeita for confirmada, será a primeira apreensão de Fentanil no Rio de Janeiro. Em fevereiro deste ano, a droga foi apreendida no Brasil no Espírito Santo.

    No segundo dia de operação contra o crime, cerca de mil agentes das Forças Estaduais de Segurança, cumprem mandados de prisão e busca e apreensão em oito comunidades do Complexo da Maré e também na Cidade de Deus.

    Nesta terça-feira (10), os alvos, segundo a polícia, são os responsáveis por arremessar uma granada dentro de um ônibus, em Barros Filho, na zona norte da cidade. O caso ocorreu no mês de setembro e deixou três pessoas feridas.

    Veja também – Entenda a disputa entre facções e milicianos no Rio de Janeiro