Policiais envolvidos na operação que matou Kathlen Romeu são afastados

Doze policiais militares foram identificados na investigação

Jaqueline Frizon, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A Polícia Militar do Rio de Janeiro afastou os doze policiais envolvidos na morte da modelo Kathlen Romeu, de 24 anos, durante um confronto com traficantes na comunidade do Lins de Vasconcelos, na Zona Norte da cidade. Kathlen Romeu estava grávida.

Até o momento foram abertas três frentes de investigações, com a DH (Divisão de Homicídios) está responsável por leventar todas os detalhes do caso.

Na sexta-feira (11), foram ouvidos os parentes da vítima. Eles estavam acompanhados de integrantes da Comissão de Direitos Humanos da OAB. Em paralelo à essa apuração, a Coordenadoria da Polícia Pacificadora instaurou um procedimento para analisar as circunstâncias como tudo ocorreu.

As armas utilizadas pelos policiais foram apreendidas e doze policiais já estão longe das funções de patrulhamento nas ruas. Kathlen ia visitar uma tia com a avó materna quando foi baleada num confronto entre a polícia e criminosos. 

A CNN teve acesso ao depoimento de um dos policiais militares que participou da ação que vitimou a modelo.  Segundo a versão do cabo da PM, a equipe fazia um patrulhamento de rotina pela comunidade, quando se deparou com homens armados. Houve troca de tiros e os suspeitos fugiram. No confronto, teriam sido feitos pelo menos 5 disparos. Em seguida, o policial disse que ouviu pessoas gritando que uma mulher havia sido atingida por um tiro. O PM se aproximou e ajudou no socorro da grávida até o Hospital Municipal Salgado Filho, que fica na mesma região. Mas a jovem não resistiu aos ferimentos.

A Promotoria de Justiça do Ministério Públic otambém apura os fatos e solicitou que a corregedoria da Polícia Militar também faça uma investigação.

Modelo e designer de interiores Kathlen Romeu
Modelo e designer de interiores Kathlen Romeu
Foto: Reprodução/Instagram (5.jun.2021)

 

Mais Recentes da CNN