Policial federal é baleado por alvo de operação em Santana do Livramento, no RS

Disparos foram feitos enquanto policiais cumpriam mandado de busca e apreensão contra criminosos especializados em evasão de divisas

Local onde policial foi baleado por morador de uma residência que era alvo de mandado de busca e apreensão no município gaúcho de Santana do Livramento, na fronteira com o Uruguai
Local onde policial foi baleado por morador de uma residência que era alvo de mandado de busca e apreensão no município gaúcho de Santana do Livramento, na fronteira com o Uruguai Foto: Divulgação/Polícia Federal

Vianey Bentesda CNN

Ouvir notícia

A Polícia Federal foi recebida a tiros durante o cumprimento de mandados expedidos pela Justiça Federal, no município de Santana do Livramento, interior do Rio Grande do Sul, na fronteira com o Uruguai, nesta quarta-feira (30)

Durante a operação, um policial federal foi baleado com disparos vindos de dentro de uma casa. O autor dos disparos foi o homem que era alvo da operação, que se entregou momento depois.

O policial foi levado para a Santa Casa, onde recebeu os cuidados médicos de emergência e não corre risco de morte. Já o atirador vai responder pela tentativa de homicídio.

A operação, batizada de “Cisplatina 2”,  cumpre sete mandados de busca e apreensão, além do bloqueio de contas bancárias e apreensão de veículos. O objetivo é investigar um núcleo de operadores financeiros especializados na evasão de divisas, câmbio ilegal e lavagem de dinheiro.

A organização criminosa atua há algum tempo em Santana do Livramento e Rivera, cidades localizadas na fronteira do Brasil com o Uruguai, sempre no mercado financeiro paralelo. Os alvos desta investigação estão vinculados ao grupo investigado pela PF, e absorveram o trabalho que era realizado por parte dos integrantes presos em 2020.

De acordo com a PF, o grupo atua no recebimento de valores e na remessa para o exterior desde 2013. As investigações mostram que os suspeitos receberam 140 milhões de pessoas e empresas de todo o país, interessadas em remetê-los para o Uruguai.

Somente entre os anos de 2018 e 2021, o grupo teria movimentado cerca de R$ 61 milhões.

Mais Recentes da CNN