Polícia Federal prende contrabandista de migrantes em Minas Gerais

Segundo investigação, envolvidos criavam núcleos familiares inexistentes com a intenção de facilitar a entrada nos Estados Unidos

Agentes da Polícia Federal
Agentes da Polícia Federal Marcelo Camargo/Agência Brasil

Vianey Bentesda CNN

em Brasília

Ouvir notícia

A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira (22), em Sardoá, Minas Gerais, um homem acusado de contrabandear migrantes, na operação “Fake Family”, que está em andamento.

A PF cumpriu quatro mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão, expedidos pela Justiça Federal de Governador Valadares, nas cidades mineiras de Sardoá e Guanhães. Mais de R$ 5 milhões foram bloqueados e diversos carros, imóveis e valores em espécie apreendidos.

De acordo com as investigações – que começaram com o compartilhamento de informações entre a Polícia de Migração dos Estados Unidos e a PF, através da Força-Tarefa Especializada no Tráfico de Pessoas e Contrabando de Migrantes – foi descoberto que os envolvidos criavam núcleos familiares inexistentes, usando falsos documentos públicos, alterando datas de nascimento e filiações com a intenção de facilitar a entrada nos EUA.

Essas falsas famílias, ou Fake Family, usavam um golpe conhecido como “cai-cai”c: enganar as autoridades de migrações do país de destino, como se as famílias fossem verdadeiras, apenas acompanhando os filhos menores.

Eles também utilizavam essas falsificações para  facilitar a viagem de menores desacompanhados ou sem a autorização dos pais.

Em alguns casos, os pais verdadeiros só ficavam sabendo que seus filhos tinham deixado o Brasil, e migrado ilegalmente, quando tentavam visitá-los ou revê-los e não conseguiam.

Mais Recentes da CNN