Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    ‘Precisamos entender que o vírus vai continuar’, afirma Roberto Kalil Filho

    O médico comenta sobre pandemia, vacina e possíveis sequelas deixadas pela Covid-19

    Da CNN,

    em São Paulo

    Ouvir notícia
     

    O episódio de estreia do programa CNN Nosso Mundo entrevistou o médico Roberto Kalil Filho, também conhecido como Dr. Kalil. Ele falou sobre as mudanças que a pandemia impôs à medicina e o novo cotidiano que a sociedade enfrentará em função do vírus.

    O professor contou às entrevistadoras sobre as pesquisas que ele e outros especialistas têm conduzido sobre o novo coronavírus. 

    O médico, especialista em cardiologia, afirmou que alguns pacientes estão demonstrando sequelas no coração e no cérebro após se curarem da Covid-19, e que existem muitas pesquisas focadas em entender consequências posteriores da Covid-19. “Já sabemos que o vírus ataca o organismo como um todo.”

    Ele também comentou sobre o aumento de casos da doença em vários lugares do mundo. “A volta de novos casos está relacionada à falta de cuidados”, afirmou. Ele e as entrevistadoras conversaram sobre as mudanças que a doença provocou na política, na economia e na sociedade mundial.

    Sobre os impactos do vírus no Brasil, o médico afirmou que o Sistema Único de Saúde, o SUS, foi um grande aliado na luta contra a pandemia. “A pandemia mostra quantas vidas foram salvas pelo SUS (…) O SUS sairá fortalecido pelo trabalho na pandemia”, disse.

    Leia também:
    ‘É preciso democratizar a alimentação saudável’, afirma Bela Gil
    ‘A pandemia não nos deixa mentir: somos todos iguais’, afirma Zezé Motta
    ‘Não acredito em mudanças radicais no mundo corporativo’, afirma Max Gehringer

    Kalil também falou que a vacina será muito importante para vencer o vírus, mas lembra que não representa uma “página virada”: “Precisamos entender que o vírus vai continuar”, explicou.

    Roberto Kalil Filho é médico cardiologista e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Ele também fundou o Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês e é diretor do Instituto do Coração (Incor).

    O professor foi entrevistado por Elisa Veeck, Thaís Herédia e Lia Bock, e quem comanda a atração é Luciana Barreto. 

    A CNN está no canal 577 nas operadoras Claro/Net, Sky e Vivo. Para outras operadoras, veja aqui como assistir à CNN. O programa também pode ser assistido ao vivo no site da CNN Brasil.

    Mais Recentes da CNN