Rio alcança mais de 75% de imunização contra a Covid-19 entre população adulta

Apesar do avanço, somente 59% da população total carioca está com esquema vacinal completo

Vacinação drive thru na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), zona norte do Rio
Vacinação drive thru na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), zona norte do Rio Tânia Rêgo/Agência Brasil

Mylena Guedesda CNN*

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A cidade do Rio atingiu, na noite desta quarta-feira (13), 75,4% da população adulta com esquema vacinal completo contra a Covid-19. Ao todo, 3.980.216 pessoas estão vacinadas com a segunda dose ou dose única da vacina.

A capital fluminense ainda tem, no entanto, mais de 96 mil (96.301) indivíduos que não receberam sequer a primeira dose do imunizante contra o vírus.

Os adolescentes entre 12 e 17 anos representam 52% dos que ainda não compareceram aos postos de saúde. Diante deste cenário, até o final de outubro haverá repescagem para todos acima dos 12 anos em qualquer unidade do município.

Até o fim desde mês, o secretário de saúde, Daniel Soranz, vai desobrigar o uso de máscaras em locais abertos sem aglomeração. Inicialmente, essa medida de flexibilização estava prevista para começar já nesta sexta-feira (15), contudo, teve que ser adiada porque depende que 65% da população total carioca esteja completamente imunizada.

No momento, somente 59% da população total está com esquema vacinal completo. Agora, a expectativa da prefeitura é que a meta seja atingida em cerca de sete dias, quase uma semana após a previsão anterior.

Para ampliar a imunização, pessoas acima dos 40 anos que receberam a primeira dose da Pfizer na capital tem o intervalo da segunda aplicação reduzido para 21 dias. A medida foi anunciada no fim de setembro.

Dose de reforço

No momento, mais de 408 mil (408.938) pessoas receberam a terceira dose na capital. Dos que receberam o reforço, 96% são idosos.

Até o final desta semana, a expectativa é que os idosos acima dos 67 anos tenham tomado a terceira dose. Os trabalhadores da saúde que tomaram a segunda dose em fevereiro também podem procurar uma unidade e se vacinar com a carteira profissional válida ou os três últimos contracheques.

*Sob supervisão de Isabelle Resende

Mais Recentes da CNN