Secretário da Educação não descarta novo fechamento das escolas no Rio

As atividades presenciais voltam a acontecer a partir desta quarta-feira (24) nas 38 unidades listadas como aptas pela prefeitura

Sala de aula com distanciamento social no RJ
Sala de aula com distanciamento social no RJ Foto: Reprodução/CNN Brasil (19.out.2020)

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Às vésperas do retorno presencial das aulas no município do Rio de Janeiro, o secretário de educação da capital fluminense, Renan Ferreirinha, não descartou um novo fechamento das escolas da rede pública caso seja registrado uma alta na taxa de contaminação por Covid-19 na cidade.

As atividades presenciais voltam a acontecer a partir desta quarta-feira (24) nas 38 unidades listadas como aptas pela prefeitura e podem ser interrompidas caso o Rio de Janeiro entre na bandeira vermelha, ou seja, atinja um risco muito alto de propagação da doença. 

“Se as escolas precisarem fechar por questões epidemiológicas e sanitárias, nós iremos realizar um outro fechamento temporário”, disse Ferreirinha durante entrevista à CNN Rádio nesta terça-feira (23). 

Apesar disso, o secretário de educação do Rio afirmou que a manutenção das aulas é uma prioridade para a prefeitura. “A escola precisa ser a última a fechar e a primeira a abrir”, concluiu.

 

O ano letivo no município do Rio começou, de forma on-line, no dia  8 de fevereiro. Já as aulas presenciais, apenas para algumas séries, serão retomadas a partir de amanhã, dia 24 de fevereiro. O retorno das atividades nas escolas será escalonado, e prevê a volta das demais séries em um período de duas a três semanas.

A lotação nas turmas será limitada de acordo com o nível de contágio em cada região, divulgado semanalmente pela prefeitura. A lotação permitida diminuirá à medida que o nível de risco de contágio pela Covid-19 aumente, com a seguinte divisão:

— risco moderado: as escolas poderão receber até 75% da capacidade
— risco alto: as escolas terão o limite de metade da capacidade
— risco muito alto: as escolas podem receber para aulas presenciais apenas 30% da capacidade

 

Sindicatos são contra

Os professores municipais do Rio são contra a retomada presencial das atividades até que a vacinação contra a Covid-19 seja concluída. Na última assembleia do Sindicato dos profissionais de educação (Sepe), 75% dos profissionais votaram pela manutenção da greve “pela vida” e, consequentemente, a manutenção dos trabalhos de forma virtual.   

Questionado quais medidas serão tomadas caso os professores não compareçam as aulas presenciais, a secretaria de educação afirmou à CNN que a prefeitura “buscará estratégias para que os alunos não fiquem sem aula”.

Mais Recentes da CNN