Sem acordo comercial, Brasil não é prioridade, diz ex-coordenadora do PNI

Carla Domingues, epidemiologista e ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI), explicou que falta de acordo comercial dificulta registro

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Enquanto 42 países no mundo já iniciaram a vacinação em massa contra a Covid-19, o Brasil ainda não tem vacina registrada pela Anvisa. Nesta segunda-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que os laboratórios deveriam buscar o país para registrar suas vacinas.

Em entrevista para a CNN, Carla Domingues, epidemiologista e ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI), explicou que, sem acordos comerciais firmados, o Brasil não está na lista de prioridades dos laboratórios que produzem vacinas que já foram aprovadas em outros países.

Leia também

Vacinas são efetivas contra variações conhecidas da Covid-19, diz infectologista

Por causa de regras da Anvisa, Pfizer não pedirá uso emergencial da vacina

Pfizer atrasa entrega de novo lote de vacina para a Espanha

“Laboratórios dão prioridade de registro em países onde existe acordo comercial. Como a Pfizer não tem nada assinado no Brasil, o país não é prioridade. Essa é a necessidade de formalizar a intenção de usar a vacina no Plano Nacional de Imunizações. Sem acordo, o país não é prioridade para o laboratório no momento.”

Frasco com vacina contra Covid-19 da Pfizer/BioNTech em hospital da Irlanda
Frasco com vacina contra Covid-19 da Pfizer/BioNTech em hospital da Irlanda
Foto: Liam McBurney/Pool via Reuters (8.dez.2020)

(Publicado por Paulo Toledo Piza)

Mais Recentes da CNN