Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Sobrou para ele”, lamenta filho de idoso nocauteado por bandidos em Copacabana

    Segundo Natan Benchimol, o pai está melhor fisicamente, mas abalado com a situação

    Rafaela Cascardoda CNN

    Em entrevista à CNN nesta quarta-feira (6), Natan Benchimol, filho de Marcelo Rubim Benchimol, de 67 anos, nocauteado em Copacabana no último sábado (2), conta que o pai “viu uma covardia com uma moça, que estava com um cachorrinho no colo tentando fugir de bandidos, foi acudir e acabou sobrando para ele”.

    O filho conta que Marcelo já está melhor fisicamente. “Ele já fez tomografia e exame de vista, nessa parte já está bem”. Mesmo assim, Natan relata que o pai continua abalado com a situação e com dores, bem como com hematomas no rosto.

    “Eu e meu pai somos nascidos e criados em Copacabana, a gente gosta muito do bairro e ficamos muito tristes com essa situação”, afirma Natan.

    Após a recente escalada de violência, moradores tentam tomar providências por conta própria. “Muitas pessoas de Copacabana estão se mobilizando pelas páginas do Instagram e estão montando grupos para tentar achar uma solução”, relata Natan.

    “Isso sempre aconteceu. Tem um ônibus que vem de Jacaré e outras regiões e, em dia de praia, eles fazem o trajeto pela zona sul. São chamados de ônibus de terror. Vêm desde o início da Barata Ribeiro, vão para Francisco Otaviano e voltam para a Nossa Senhora. E aí vão saqueando todo mundo, roubando colar, celular, batendo em idoso e fazendo essa covardia que fizeram com meu pai”, relata o morador de Copacabana.

    O que diz a PM do Rio de Janeiro

    A Polícia Militar do Rio de Janeiro disse que atua na região para prender em flagrante qualquer envolvido em crimes e que possui policiamento reforçado para reduzir os índices criminais do bairro.

    “Frequentemente, as unidades operacionais que atuam no bairro fazem ações de revistas e abordagens a pessoas em situação de vulnerabilidade, além de diversas ações que visam coibir o cometimento de roubos e furtos a patrimônio público e privado”, diz a nota enviada à imprensa.

    Nos últimos 10 dias, somente em Copacabana, a PM do Rio encaminhou 150 pessoas para delegacias da região e retirou 11 facas de circulação. Quatro pessoas foram presas e seis adolescentes infratores foram apreendidos.

    O caso

    Um homem foi agredido e teve seus pertences roubados por criminosos, no final da tarde de sábado (2), na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro. O assalto ocorreu por volta das 18h, horário de grande movimento na região.

    Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que a vítima é abordada por um grupo de jovens e tem os pertences roubados.

    Durante a ação, o homem leva um soco e cai ao chão, nocauteado. Um terceiro criminoso aparece e ajuda o comparsa a recolher a carteira e outros objetos da vítima.