Cidade de São Paulo anuncia fim de distanciamento em cinemas e teatros

Medida vale a partir desta sexta-feira (15) e uso de máscara segue obrigatório

Everton SouzaRafaela Larada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), anunciou nesta quinta-feira (14) o fim do distanciamento mínimo em salas de cinema e teatros a partir desta sexta-feira (15).

Anteriormente, os espaços só poderiam receber o público com o distanciamento mínimo de 1 metro para evitar a disseminação da Covid-19.

“Quero antecipar que a partir de amanhã [sexta-feira] os espaços de teatro e cinemas onde é obrigatório o distanciamento mínimo 1 metro estarão liberados [do distanciamento]. É possível que se faça o uso destes espaços sem o distanciamento entre as cadeiras, porém o uso da máscara segue obrigatório”, disse o prefeito.

O uso de máscaras segue obrigatório dentro destes estabelecimentos, assim como em toda a capital paulista.

De acordo com o prefeito, em eventos com mais de 500 pessoas o passaporte da vacina deve ser exigido.

Para manutenção do uso de máscara na cidade, a prefeitura apresentou estudos que corroboraram a decisão.

“[O estudo] nos indica que devemos manter a obrigatoriedade do uso de máscara. A partir de 10 de novembro será apresentado um novo estudo para tomar uma nova decisão a partir dos dados que teremos”, disse Nunes.

Vacinação na capital

O prefeito também anunciou os índices de vacinação na capital paulista. Segundo ele, toda a população com 12 anos ou mais na cidade de São Paulo já tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

“Na comparação com toda a população de 12 anos ou mais, a cidade de Berlim tem aplicado 68,3% de vacinação [com ao menos a primeira dose ou dose única], Londres tem 64,3% e São Paulo 100%”, disse.

A cidade de São Paulo tem 78,8% da população acima de 12 anos com o esquema vacinal completo, de acordo com dados apresentados pela prefeitura.

“A cidade de Londres tem 58,3% com duas doses, Berlim 65,3%, e a cidade de São Paulo, com muito orgulho, tem 78,8% do publico acima de 12 anos [com as duas doses]”, detalhou Nunes.

Retorno obrigatório do ensino presencial

Com o anúncio do retorno presencial obrigatório de alunos do estado de São Paulo às escolas, o prefeito anunciou que a partir do 25 não haverá mais necessidade do distanciamento mínimo de 1 metro entre carteiras, portanto não haverá mais rodízio de alunos nas salas de aula do município.

Mais de 617 mil doses de reforço já foram aplicadas na população com 60 anos ou mais. Um ofício solicitando a prioridade do reforço vacinal dos profissionais de Educação será encaminhado ao Ministério da Saúde, segundo Nunes.

“O prefeito Bruno Covas já solicitou a prioridade da vacinação dos profissionais de educação em janeiro e vamos reiterar esse pedido. Como fizemos há pouco tempo com o reforço dos profissionais de saúde.”

Mais Recentes da CNN