SP: Comércio e restaurantes podem reabrir aos fins de semana em 11 regiões

Funcionamento estava suspenso para conter transmissão da Covid-19

Anna Satie, da CNN em São Paulo

Ouvir notícia

 

O governo paulista anunciou nesta quarta-feira (3) uma flexibilização nas restrições do Plano São Paulo, que determina quais setores da economia podem funcionar em que horários durante a pandemia do novo coronavírus. 

Nas 11 regiões classificadas na fase laranja, o comércio e os restaurantes poderão voltar a abrir aos fins de semana. A medida já é válida a partir deste sábado (6) e domingo (7).  

As regiões são: Grande São Paulo, Araçatuba, Araraquara, Baixada Santista, Campinas, Piracicaba, Presidente Prudente, Registro, São João da Boa Vista e São José do Rio Preto e Sorocaba.

Com a medida, academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros, shoppings, concessionárias, escritórios podem voltar funcionar por até oito horas, até, no máximo, as 20h. Parques também podem abrir nesta fase. 

O consumo local em bares, no entanto, segue proibido. 

Houve uma queda de 8% na média de internações diárias no estado nos últimos sete dias e estabilidade no número de novos casos de Covid-19, o que levou o governo e o Centro de Contingência da Covid-19 a reavaliar as restrições. Uma nova reclassificação será anunciada ainda nesta semana, na sexta-feira (5). 

Desde o dia 25 de janeiro, todo o estado estava em fase vermelha —a mais restritiva, em que só atividades essenciais podem estar abertas— durante o dia todo aos fins de semana, e à noite, das 20h às 6h, de segunda a sexta-feira.

A mudança não vale para as sete regiões estão na fase vermelha em tempo integral. São elas: Franca, Barretos, Presidente Prudente, Marília, Bauru, Sorocaba e Taubaté.

Novas doses da vacina 

O governador João Doria também anunciou que chegam hoje ao estado insumos para a produção de mais 8,6 milhões de doses da Coronavac.

A carga desembarcará esta noite no aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior do estado. De acordo com o governador, as vacinas serão distribuídas para todo o Brasil em 20 dias, tempo necessário para tratamento e envase pelo Instituto Butantan.

“Com a entrega de mais esse lote, chegamos a 17,3 milhões de vacinas do Butantan. Essa quantidade representa 90% do total de vacinas disponibilizadas no Brasil contra Covid-19”, disse Doria. 

Também foi anunciada a abertura de cinco postos de drive-thru na cidade de São Paulo para vacinação de idosos a partir da próxima segunda (8). Eles serão no Estádio do Pacaembu, na Arena Corinthians, no Autódromo de Interlagos, no pavilhão de exposição do Anhembi e na Igreja Batista Boas Novas, na Vila Prudente (confira os endereços).

Além desses, haverá mais 472 postos para vacinação na cidade, em 468 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e em quatro Centros-Escola. 

De acordo com o governador, os cidadãos que não podem se locomover até esses postos receberão a vacina em casa.

No dia 8, idosos com mais de 90 anos poderão receber o imunizante. De acordo com o secretário de Saúde municipal, Edson Aparecido, a capital planeja vacinar 32.837 idosos nessa primeira fase. 

Aparecido disse que esses pontos permanecerão para a semana seguinte, quando cidadãos com mais de 85 anos passarão a ser vacinados. 

A coordenadora de controle de doenças da secretaria de Saúde do Estado, Regiane de Paula, disse que os demais municípios paulistas também estão montando estratégias para vacinar a população e ressaltou a importância do pré-cadastro dos cidadãos no portal Vacina Já, que agiliza o processo de vacinação.  

Regiane afirmou que, assim que o governo tiver mais doses, o cronograma de vacinação para as próximas faixas etárias será anunciado. 

“Quanto mais vacinas chegarem, imediatamente nós, estados, repassaremos vacinas aos municípios, que estão prontos para iniciar as campanhas de vacinação para estratificação da população em seguida. Então, estamos prontos, recebendo a vacina, iniciaremos a vacinação para 80 anos e mais, 75 anos e mais, e assim sucessivamente”, disse.

Pacote de auxílio

O governo também anunciou um pacote de auxílio para os setores de comércio, turismo e serviços. O aporte será de de R$ 125 milhões em crédito a juro baixo pelo Banco do Povo e o Banco Desenvolve SP, além da suspensão de dívidas e parcelamento de contas.

O corte de gás e água fornecida pela Sabesp foi suspenso para estabelecimentos comerciais que não paguem as contas.

A medida vale até 30 de março e as faturas pendentes poderão ser parceladas sem juros e multa por 12 meses.

(*Com informações do Estadão Conteúdo)

Mais Recentes da CNN