Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Suspeita de jogar ácido em jovem é presa pela PM no Paraná

    Mulher acionou a polícia após sofrer ameaças

    PM prende suspeita de jogar ácido em jovem no Paraná
    PM prende suspeita de jogar ácido em jovem no Paraná Mulher é presa e confessa ter atirado ácido na ex de seu companheiro

    Bruno Laforéda CNN

    A Polícia Militar do Paraná prendeu, na madrugada desta sexta-feira (24), uma mulher suspeita de atear uma substância ácida contra uma jovem identificada como Isabelly Ferreira, na cidade de Jacarezinho. A ação foi gravada por câmeras de segurança instaladas na rua onde o crime aconteceu, na última quarta-feira (22).

    Segundo a PM, a própria suspeita acionou o policiamento, pois estaria sofrendo perseguição de quatro homens da região. A detida foi localizada no pátio de um hotel.

    Ela chegou a relatar que ficou escondida em uma área de matagal, onde estava se escondendo há quase dois dias, desde que cometeu o crime.

    No local, os agentes localizaram as roupas utilizadas pela suspeita nas gravações do flagrante. Na ocasião, ela usava uma peruca loira como disfarce. O adereço não foi localizado.

    Segundo a mulher, que confessou o crime, a peruca foi descartada por ela instantes depois.

    Ela disse que cometeu o crime motivada por ciúmes. A vítima era ex-namorada de seu atual companheiro.

    O material utilizado, segundo ela, foi soda cáustica misturada com água.

    Após ser detida, a suspeita foi encaminhada à Delegacia de Jacarezinho, que está à frente das investigações.

    Relembre o caso

    Isabelly Ferreira sofreu ferimentos graves provocados após um ataque por substância ácida na cidade de Jacarezinho, no Paraná, na tarde desta quarta-feira (22). Ela foi encaminhada ao Pronto Socorro de Jacarezinho depois do ocorrido.

    Ao chegar no hospital, a Polícia Militar (PM) fez contato com os profissionais da instituição, que informaram que a vítima se encontrava entubada e com ferimentos no rosto, além de lesões na região do peito e da boca, indicando uma provável ingestão do componente químico.

    No local do ataque, a PM encontrou um copo e uma sacola que teriam sido utilizados no crime. Imagens de câmera de segurança também foram colhidas. Os objetos e as imagens foram encaminhados para a Polícia Civil, onde o caso é investigado.