Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Tarcísio vai sugerir que concessionárias indenizem prejuízos provocados pela falta de luz em SP

    O pedido vai ser feito em reunião na tarde desta segunda-feira no Palácio dos Bandeirantes entre as distribuidoras, os prefeitos das cidades afetadas e a Aneel

    Raquel Landimda CNN

    São Paulo

    O governador Tarcísio de Freitas vai sugerir que as distribuidoras de energia indenizem os cidadãos e os comerciantes prejudicados pela demora em religar a luz após o temporal da última sexta-feira em São Paulo, apurou a CNN.

    O pedido vai ser feito em reunião na tarde desta segunda-feira no Palácio dos Bandeirantes entre as distribuidoras, os prefeitos das cidades afetadas e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

    No fim da tarde deste domingo, 700 mil domicílios ainda estavam sem luz na grande São Paulo mais de 60 horas depois das chuvas. A previsão era de normalização de 100% das atividades apenas na terça-feira.

    Segundo interlocutores do governador, é preciso avaliar com cuidado para evitar quebra de contrato, mas é dever das empresas indenizar os prejuízos. A iniciativa do governo do Estado também não exclui a ação dos órgãos de defesa do consumidor e dos próprios clientes.

    Responsável pelo fornecimento de luz na capital paulista, a Enel argumenta que triplicou o efetivo, mas não dispunha de pessoal especializado para fazer todas as religações. A CPFL também teve problemas no interior.

    O temporal derrubou milhares de árvores e deixou quatro milhões de domicílios sem luz em todo o Estado. Por falta de luz, a Sabesp também teve que interromper o funcionamento de usinas de tratamento e faltou água em algumas regiões.

    Hoje o Enem transcorreu normalmente porque foi feito um mutirão para religar a luz das escolas afetadas ou atender com gerador. Apenas uma escola particular da zona leste da capital iniciou a prova apenas com luz natural, mas um gerador foi instalado às 16h30.

    Veja também: Diário da falta de luz: Advogada e confeiteira relatam transtornos em São Paulo |