Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Temos um cenário de guerra em Petrópolis, diz secretário nacional de Defesa Civil

    Foram contabilizados 260 milímetros de chuva em seis horas na última terça-feira (15), na cidade da Região Serrana do Rio de Janeiro; ao menos 78 pessoas morreram

    Douglas PortoAnna Gabriela Costada CNN

    em São Paulo

    O secretário nacional de Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, afirmou, nesta quarta-feira (16), em entrevista à CNN, que o cenário é de guerra após as fortes chuvas que atingiram a cidade de Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro.

    “Nós chegamos por via área. O Governo do Estado colocou o helicóptero a nossa disposição e fizemos o sobrevoo junto com o diretor de obras. O que nós vimos agora durante a nossa vistoria por terra é um cenário de guerra, literalmente acho que essa é a melhor expressão”, declarou Alves.

    “Foi um desastre extremamente grave, com muitos danos humanos, materiais, prejuízos econômicos e sociais. Realmente é uma situação extremamente grave e que precisa do apoio do governo federal e do governo estadual e do governo municipal para o apoio de todos”, continuou.

    Segundo a Defesa Civil local, pelo menos 94 pessoas morreram. Em seis horas na terça-feira (15) foram contabilizados 260 milímetros de chuva, provocando 269 deslizamentos e 325 ocorrências, com cerca de 35 a 50 casas atingidas, deixando 374 habitantes desabrigadas ou desalojadas.

     

    De acordo com previsão do Climatempo, os temporais ainda devem atingir a Região Serrana nos próximos dias. A expectativa é de que chova com intensidade entre a metade da quinta-feira (17) e a tarde da sexta-feira (18). Os especialistas afirmam que o volume de chuvas deve ser menor que o observado ontem.

    “Seguem as buscas por desaparecidos” 

    Em entrevista à CNN, nesta quarta-feira (16), o secretário de Infraestrutura e Obras do estado do Rio de Janeiro, Max Lemos, afirmou que a prioridade das autoridades locais é resgatar as vítimas e prosseguir com a busca por desaparecidos.

    Sobre a recuperação da cidade de Petrópolis, o secretário afirmou que a região já está sendo estudada para dar início à recuperação da infraestrutura. Lemos disse que o primeiro passo é realizar a limpeza para desobstrução das vias e liberação do tráfego.

    “Nesse primeiro momento o governo do estado atendeu a população, o mais imediato, o socorro às pessoas soterradas, às famílias. O Corpo de Bombeiros está aqui com mais de 200 homens. Esse primeiro momento é socorrer as pessoas e criar mobilidade na cidade. Quando chegamos ontem à noite a cidade estava totalmente engarrafada, as pessoas estavam nas ruas, uma situação caótica”, disse.

    À CNN, o secretários de Infraestrutura e Obras do RJ destacou que bombeiros e a Defesa Civil da cidade de Petrópolis trabalham em conjunto na busca por moradores desaparecidos.

    “Infelizmente trabalho continua de busca das pessoas desaparecidas, o Corpo de Bombeiros fazendo trabalho com a Defesa Civil de Petrópolis. Não há muto o que fazer a não ser esse trabalho de dedicação, é integral, todo mundo muito focado”, afirmou.

    Alerj prepara entrega de R$ 30 milhões a Petrópolis

    O presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), deputado André Ceciliano (PT), enviou para aprovação um projeto de R$ 30 milhões para ajuda a Petrópolis. As informações são do analista de política da CNN Leandro Resende.

    Parlamentares e secretários do Rio de Janeiro estavam junto do governador Cláudio Castro (PL), na cidade de Barra Mansa, cumprindo agenda do programa Governo Presente, quando chegaram as informações sobre a tragédia e se dirigiram para a cidade.

    Após chegarem a noite com muita dificuldade pelas condições das estradas, também observaram um cenário de guerra, de acordo com o secretário de Governo, Marcelo Calero.