Ventos derrubam árvores, fecham ponte Rio-Niterói e param trens no RJ

No Complexo do Alemão, um totem de teleférico, um poste e parte do teto de uma escola desabaram; uma idosa precisou ser socorrida após a queda de uma árvore

Camille CoutoElis BarretoPedro Duranda CNN

No Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Uma frente fria chegou nesta terça-feira (21) à cidade do Rio de Janeiro e colocou a capital fluminense em estágio de mobilização, fechando vias e provocando queda de árvores pela cidade.

Até o início da noite desta terça-feira, foram registradas pelo menos 69 ocorrências de queda de árvore por diversos bairros da cidade. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apontou ventos de 77km/h no Forte de Copacabana.

Os bairros da Tijuca, Grajaú e Maracanã tiveram problemas no fornecimento de energia, segundo a Light.

“A Light atua, no momento, com 125 equipes para restabelecer, o mais rápido possível, o fornecimento de energia nos trechos dos bairros mais atingidos pela forte ventania na tarde de hoje”.

Em São Gonçalo, na região metropolitana, uma idosa precisou ser socorrida pelos bombeiros depois que uma árvore caiu sobre uma viatura. Ela foi retirada do meio dos galhos com a ajuda de pessoas que passavam pelo local. Ainda não há informações sobre estado de saúde.

Trens paralisados

A Supervia, que opera os trens na região metropolitana do estado, anunciou a suspensão temporária de circulação de todos os oito ramais da companhia.

A empresa alertou que a paralisação ocorreu “em função dos fortes ventos que atingem a região metropolitana do Rio de Janeiro, causando risco às estruturas da ferrovia”.

Questionada por uma passageira, a Supervia disse que “infelizmente alguns objetos foram arremessados na via devido à força dos ventos”, e que está “trabalhando para normalizar o mais rápido possível”.

A ponte Presidente Costa e Silva, que liga a capital ao município de Niterói, também na região metropolitana do estado, chegou a ser fechada nos dois sentidos, após o registro de ventos de até 76 km/h. A via permaneceu fechada por cerca de 30 minutos, provocando congestionamento e lentidão.

No complexo do Alemão, o vento derrubou um totem de identificação do teleférico da Estação Baiana e parte do teto da escola estadual CAIC Theophilo de Souza Pinto, além de um poste com ramificações elétricas.

No bairro de Botafogo, uma árvore se desprendeu da calçada e atingiu um ônibus, amassando a lataria e quebrando o para-brisa do veículo.

Prefeito pede que cidadãos evitem deslocamentos

Pelo Twitter, o prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes (PSD), pediu que as pessoas evitassem deslocamentos.

Além de Copacabana, de acordo com o Centro de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro, os ventos fortes também foram registrados na Base Aérea de Santa Cruz (57,4 km/h), Aeroporto do Galeão (68,5 km/h) e no Aeroporto Santos Dumont (64,8 km/h).

O estágio de mobilização é o segundo nível em uma escala de cinco e significa que há riscos de ocorrências de alto impacto na cidade. A previsão da prefeitura é que, nas próximas horas, haja aumento da nebulosidade, permanência de ventos e pontos de chuva fraca nas próximas horas.

A Marinha emitiu um alerta de ressaca no mar, que começou a valer desde as 12h desta terça-feira, com previsão de ondas de até 3,5 metros — o que pode acontecer até 21h de quinta-feira (23).

Mais Recentes da CNN