Supremo autoriza abertura de inquérito para apurar atos antidemocráticos

O pedido foi feito nesta segunda pelo procurador-geral, Augusto Aras. 

Daniela Lima
Por Daniela Lima, CNN  
21 de abril de 2020 às 13:19 | Atualizado 21 de abril de 2020 às 14:10

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo, autorizou a abertura de inquérito para apurar a possibilidade de parlamentares terem participado da organização dos atos antidemocráticos do último domingo (19).

O pedido foi feito nesta segunda (21) pelo procurador-geral, Augusto Aras. O ministro também autorizou diligências pedidas pela PGR. Os autos estão sob sigilo.

Segundo informação enviada ao Supremo, na decisão, Moraes classificou os fatos narrados pelo procurador-geral como gravíssimos, por atentarem contra o Estado Democrático de Direito brasileiro e as Instituições.

O ministro também, segundo informação enviada ao STF, lembrou que a Constituição veda o financiamento e a propagação de ideias contrárias à ordem constitucional e que a liberdade de expressão não abraça manifestações que tenham como princípio aniquilar o pensamento crítico, “trazendo como consequência o nefasto manto do arbítrio e da ditadura”.

Veja também:

'Não tem conversa de fechar nada', diz Bolsonaro após ir a ato antidemocrático

Forças Armadas obedecem Constituição, diz Defesa após atos pró-intervenção

O Grande Debate: participação de Bolsonaro em atos e a defesa dos poderes

Pedido de inquérito sobre atos pró-intervenção cita deputados, mas não Bolsonaro