PF vai ouvir Paulo Marinho nesta quarta-feira, no Rio

O Ministério Público Federal decidiu abrir um inquérito para investigar o suposto vazamento de informação para o então deputado Flávio Bolsonaro

Renata Agostini
Por Renata Agostini, CNN  
19 de maio de 2020 às 13:00 | Atualizado 19 de maio de 2020 às 14:27
O empresário Paulo Marinho
Foto: Roque de Sá/Agência Senado

A Polícia Federal vai ouvir Paulo Marinho nesta quarta-feira (20), no Rio de Janeiro.

O empresário afirmou, em entrevista à Folha de S.Paulo, que um delegado alertara, em 2018, o então deputado estadual do Rio Flávio Bolsonaro que uma investigação em curso na PF no Rio atingiria seu gabinete.

Assista e leia também:
Paulo Marinho pede proteção policial ao governador do Rio
Vídeo mostra Bolsonaro e Paulo Marinho com funcionárias da casa
Planalto vê retaliação de Marinho por veto a seu nome no Turismo

O Ministério Público Federal decidiu abrir um inquérito para investigar o suposto vazamento de informação. De acordo com Marinho, um delegado avisou Flávio que apurações da PF no âmbito da operação Furna da Onça apontavam para indícios de irregularidades por parte de Fabrício Queiroz, que foi por anos seu assessor.

Marinho aproximou-se da família Bolsonaro no final de 2017, por meio de Gustavo Bebianno, que foi coordenador da campanha de Jair Bolsonaro. O empresário cedeu uma parte de sua casa para que a campanha do então candidato do PSL gravasse vídeos e operasse a estratégia de redes sociais em 2018. Durante meses, conviveu com Bolsonaro e seus aliados mais próximos. Na sua casa, foram feitas algumas das primeiras reuniões para definir a composição do novo governo. 

O empresário é suplente de Flávio Bolsonaro, que foi eleito senador. Mas Marinho rompeu com a família quando Bebianno deixou o governo. Aliou-se a João Doria e hoje é pré-candidato à prefeitura do Rio de Janeiro pelo PSDB.