Queiroz é preso por lavagem, organização criminosa e interferir em investigação

Os fundamentos da prisão constam no mandado de prisão expedido pelo juiz Flávio Itabaiana Nicolau, da 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro 

Thais Arbex
Por Thais Arbex, CNN  
18 de junho de 2020 às 11:42
Fabrício Queiroz durante a prisão na manhã de quinta-feira (18) em casa em Atiba
Fabrício Queiroz durante a prisão na manhã de quinta-feira (18) em casa em Atibaia
Foto: CNN (17.jun.2020)


O policial militar aposentado Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro e amigo do presidente Jair Bolsonaro, foi preso na manhã desta quinta-feira (18) em desdobramento de uma investigação que apura os crimes de lavagem de dinheiro, de integrar organização criminosa e de tentativa de interferência nas investigações.

O mandado de prisão foi expedido pela Justiça do Rio de Janeiro. Queiroz estava em Atibaia, interior de São Paulo, em um imóvel do advogado Frederick Wassef, responsável pelas defesas de Flávio e do presidente Bolsonaro.

Os fundamentos da prisão constam no mandado de prisão expedido pelo juiz Flávio Itabaiana Nicolau, da 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro. 

Queiroz é investigado por participação em suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro.

Leia também:

'A verdade prevalecerá', diz Flávio Bolsonaro sobre prisão de Queiroz

Prisão de Queiroz é pior crise de Bolsonaro